Traduzir

Pesquisar

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Novo golpe de bandidos simulam corte de energia elétrica

Com o aumento nas contas de luz, bandidos estão aplicando uma nova modalidade de golpe, enviando e-mails falsos com aviso de corte de energia. 



Se receber algum e-mail como o da imagem acima não clique nos links e não responda dando nenhum tipo de informação que ele não é originado na AES e muito menos tem a ver com acordos de conta de energia atrasada. Não passa de mais um tipo de golpe! Não dê informações e nem dinheiro para bandido!

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Folha de Zona Azul é vendida por valor acima do determinado pela prefeitura

Riselda Morais


Encontrar uma vaga e estacionar com tranquilidade nas ruas de São Paulo está cada dia mais difícil, ou o motorista é abordado por flanelinhas que agem como verdadeiros donos das ruas,  como acontece na Penha, praticamente intimam o proprietário do veículo a lhe dar alguns trocados para poder estacionar e, em caso de recusa tem o carro riscado se estacionar na via. A segunda opção é estacionar em uma das mais de 38 mil vagas de Zona Azul, neste caso deve-se adquirir uma folha e colocar no para-brisa do veículo, ao alcance do olhar dos agentes de trânsito, dá direito a uma hora de estacionamento. 
   No centro de Itaquera, por exemplo, o munícipe é surpreendido com o preço abusivo de R$ 8,00; bem acima do preço tabelado pela prefeitura que é de R$ 5,00 na folha avulsa e R$ 45,00 no talão. Em outras regiões o preço varia entre R$ 5,50; R$ 6,00 e R$ 7,00.

Lei Maria da Penha é aplicável a transexuais femininas

Riselda Morais

  A Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha) também é aplicável as transexuais que encontram-se em situação de dupla vulnerabilidade: por um lado, em virtude da discriminação pelo gênero e de outro, em razão da discriminação pela orientação sexual. Assim, são vítimas de várias formas de violência, especialmente no âmbito doméstico e familiar.
 A violência de gênero representa “uma relação de poder de dominação do homem e de submissão da mulher. Uma eventual prática de violência doméstica em que a vítima seja um homem poderá ser tipificada como lesões corporais (artigo 129, parágrafo 9º, do CP); não ensejando a apli-cação da Lei 11.340/2006.

Com FGTS obrigatório, Receita espera cadastrar 1,5 milhão de domésticos no eSocial

   Riselda Morais


   Desde o dia 1º de outubro o recolhimento de valores relativos ao FGTS - Fundo de Garantia do Tempo de Serviço para trabalhadores domésticos tornou-se obrigatório, conforme o PEC das Domésticas. 
   De acordo com a lei, os empregadores terão de recolher de 8% a 11% de contribuição previdenciaria, de responsabilidade do empregado, dependendo do salário, 8% de contribuição patronal providenciaria para a seguridade social, a cargo do empregador, 0,8% de contribuição social para financiamento do seguro contra acidentes do trabalho, 8% de recolhimento para o FGTS e 3,2% para o fundo de demissão por justa causa.
   Segundo informações da Receita Federal, nos dois primeiros dias da vigência do Simples Doméstico foram realizados 68.748 cadastros no eSocial, plataforma digital criada para facilitar o recolhimento unificado de contribuições providenciarias, dos valores relativos ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e os encargos trabalhistas, sendo 44.835 cadastros realizados por empregadores e 23.913 cadastros feitos por empregados. 
   O eSocial registrou cerca de 40 inscrições por minuto,   com um tempo médio de 15 minutos por cadastro. 
   A Receita estima que cerca de 1,5 milhão de domésticos serão cadastrados até o dia 31 de outubro.

Zona Leste concentra oito, das dez vias com maior incidência de roubos e furtos de veículos

Riselda Morais



     A grande quantidade de desmanches na Zona Leste de São Paulo; a alta demanda de peças para reposição; a facilidade para vender veículos roubados aos receptadores, estimula e facilita o roubo e furto de veículos na região, uma vez que o ladrão procura o que é mais fácil.
   Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, em todo o Estado, ocorreram no período de janeiro a agosto de 2015, 20.472 roubos de veículos, número menor que o de furto de veículo que chegou a 74.607.Só no mês de agosto foram realizados 9.155 furtos de veículos e 5.699 registros de roubos.  Ainda segundo dados de SSP/SP, considerando as estatísticas  só da capital paulista, o número também é assustador, nos primeiros oito meses deste ano foram 29.792 veículos furtados e 24.593 veículos roubados. Um total de 54.385 pessoas tiveram seus veículos levados pelos bandidos.   Já os registros do mês de agosto de 2015 apontam 3.770 casos de veículos furtados e 2.770 casos de roubo na capital paulista.
   Segundo levantamento realizado pela empresa especializada em monitoramento e rastreamento Ituran, a Zona Leste de São Paulo tem oito das dez vias da Grande São Paulo, com maior incidência de roubos e furtos de veículos.  A via que lidera o ranking de roubos e furtos é a Avenida Jacú-Pêssego, que atravessa a Zona Leste ligando a Rodovia Ayrton Senna ao Grande ABC; seguida Avenida Radial Leste, Avenida Sapopemba, Rodovia Fernão Dias, Avenida Marechal Tito, Estrada do Alvarenga, Rua Euclides Pacheco, Avenida Itaquera, Avenida Raimundo Pereira de Magalhães e Avenida Ragueb Chohfi.
   Os bairros com maior indice de roubos e furtos de veículos são: Itaquera (Zona Leste), Guaianases (Zona Leste), São Mateus (Zona Leste), Ipiranga (Zona Sul), Penha (Zona Leste), Itaim Paulista (Zona Leste), Vila Prudente (Zona Leste), Tatuapé (Zona Leste), Mooca (Zona Leste), Pirituba (Zona Norte) e Vila Formosa (Zona Leste).
   Ainda segundo o estudo realizado com base em cerca de 350 mil veículos monitorados, os ladrões dão preferência aos veículos de cor prata e branca, sendo o modelo preferido o Fiat Palio, seguido do Volkswagen Gol, Fiat Uno, Volkswagen Fox, Volkswagen Voyage, Fiat Siena, Chevrolet Celta, Fiat Strada, Volkswagen Saveiro e Ford Fiesta.

Fome no Brasil caiu 66%, em 15 anos, segundo IGV 2015

16,1 milhões de crianças integram a primeira geração brasileira sem fome, mas no mundo, 795 milhões de pessoas ainda passam fome.

Riselda Morais
Crianças famintas da Africa Subsaariana


Crianças brasileiras que saíram da extrema pobreza
    O mundo está menos faminto, segundo dados do Índex Global Sobre a Fome (IGV) 2015, que realizou estudo em 128 países e constatou que a luta contra a fome no mundo registrou “progressos significativos”, nos últimos 15 anos.   Mas não ter o suficiente para comer ainda é uma realidade para muita gente.
   Elaborado pelo Instituto Internacional de Investigação sobre Políticas Alimentares (IFPRI, na sigla em inglês), o estudo mostrou que o Brasil é um dos países que mais diminuíram a subnutrição; no período de 2000 a 2015, reduziu em 66% os casos de fome e já se encontra entre os países mais próximos de erradicar a fome, ficando com pontuação 5 no IGF, em uma escala que vai de 0 a 7,9 no combate a fome. 
    O Brasil encontra-se entre os 17 países que obtiveram resultados “notáveis” de redução da fome, baixando em 50% ou mais os percentuais.
  No Brasil, neste mês das crianças, temos essa boa notícia para comemorar, mas também temos a certeza de que ainda há muito a se fazer. Por uma lado, o Brasil tem hoje 16,1 milhão de crianças, que integram a primeira geração sem fome no País. Estas crianças têm acesso a direitos básicos, como saúde, educação e são beneficiárias do Bolsa Família. Através do Brasil Carinhoso, 8,1 milhões de crianças saíram da pobreza extrema.
   A mortalidade infantil também diminuiu - 19% em crianças de até 5 anos – e 14% na diminuição do número de nascimentos prematuros. Os números mostram que a redução da mortalidade foi ainda maior quando observadas causas específicas, como desnutrição (65%) e diarréia (53%). Combatida a morte nos primeiros anos de vida, as crianças também têm superado a deficiência nutricional crônica, que caiu pela metade - de 17,5%, em 2008, para 8,5 %, em 2012.
  O IGF utilizou os critérios de pontuação considerando que entre 8 e 13,2 representam níveis baixos ou moderados de fome; entre 13,3 e 19,9, valores médios, e entre 20 e 34,9, são considerados “sérios”. Acima de 35 pontos são considerados alarmantes, estando nessa situação o Timor-Leste, que obteve 40,7 pontos.
     Apesar da fome no mundo ter diminuído, 52 países continuam com níveis de “sérios” a “alarmantes”. Países como Angola, Ruanda e Etiópia registraram quedas na redução da fome, considerados “níveis sérios” ficaram entre 25 a 28 pontos, na mesma lista está Guiné-Bissau (30,3 pontos) e Moçambique (32,5).      As áreas mais afetadas pela fome continuam sendo a África Subsaariana (média de 32,2 pontos) e o Sul da Ásia (média de 29,4). Já o Sudeste asiático, o Oriente Médio, o Norte da África, a América Latina e as Caraíbas, o Leste da Europa e os Estados independentes da Comunidade Britânica registraram valores entre 8 e 13,2 pontos. 
   As regiões que sofrem grave escassez de alimentos estão na África subsaariana, e os problemas mais graves estão na República Centro-Africana, no Chade e na Zâmbia. Países como Eritreia, Burundi e Sudão, estes sequer entraram nas estatísticas de 2015, por falta de dados sobre desnutrição.
   Na lista dos dez países que mais reduziram os níveis de fome está três latino-americanos (Brasil, Peru e Venezuela), um da Ásia (Mongólia), quatro antigas repúblicas soviéticas (Azerbaijão, República da Quirguízia, Lituânia e Ucrânia) e dois ex-Estados iugoslavos (Bósnia-Herzegovina e Croácia).
   Apesar dos avanços, 795 milhões de pessoas passam fome; uma em cada quatro crianças; 25% das crianças do mundo sofrem subnutrição crônica e consequente interrupção do crescimento e 9% sofrem de desnutrição aguda.
   Segundo o relatório, os conflitos armados como os da Síria, do Iraque e do Sudão do Sul são os maiores impulsionadores da fome.  O IGV alerta que a principal causa da fome de 172 milhões de pessoas são as guerras e conflitos e reitera que todo o sucesso do combate a fome terá sido em vão se os conflitos não forem encerrados.
   Acabar com a fome no mundo até 2030 é um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).
   Como brasileira e como ser humano, desejo que todos tenham o suficiente para comer; que nossas crianças sejam bem alimentadas, educadas, cuidadas, amadas. Que no futuro desta nação e de todo o mundo não haja fome, mas sim, a felicidade de sabermos que todas as mesas terão alimentação farta!  

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Presos por assalto a residência na Vila Antonieta

      Na tarde do sábado (03), quatro homens  que utilizavam um Fiat/Palio azul,assaltaram uma residência na Vila Antonieta, Zona Leste da capital.
Com a chegada de Policiais da 1ª Companhia do 19° Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (19º BPM/M) os assaltantes fugiram jogando diversos objetos roubados na via, entre eles, duas máquinas de cartão de crédito e R$ 40,00. Três ladrões foram presos, de 32, 24 e 21 anos com quatro celulares e R$ 30,60. O motorista do veículo conseguiu fugir.
Segundo informações da SSP, o caso foi registrado como roubo e localização / apreensão de objeto e veículo no 69° Distrito Policial (Teotônio Vilela). 
   A Polícia Civil prossegue com as investigações para identificar e prender o outro envolvido.

Força-tarefa prende envolvidos em chacinas

Por: Riselda Morais

   Na quinta-feira (8), durante uma megaoperação realizada pela força-tarefa que investiga as chacinas de Osasco e Barueri nos dias 8 e 13 de agosto e de Carapicuíba em 19 de setembro, as polícias Civil e Militar prenderam 11 pessoas envolvidas em uma série de assassinatos múltiplos com 23 vítimas e sete tentativas de homicídios.
   A megaoperação cumpriu 25 mandados de busca e apreensão e de prisão temporária. Foram presos cinco policiais militares e um guarda civil suspeitos das chacinas em Osasco e Barueri e três policiais militares suspeitos de ter participado de múltiplos homicídios em uma pizzaria de Carapicuíba, na noite de 19 de setembro. Um policial militar já havia sido preso anteriormente, suspeito de participação nos crimes de agosto.
   O anúncio foi feito em entrevista coletiva com o Secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes e integrantes da força-tarefa, entre eles o delegado Luiz Fernando Lopes Teixeira, do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pela investigação; a diretora do DHPP, delegada Elisabete Sato o coronel Levi Anastácio Félix, corregedor da Polícia Militar.
    A ação contou com a participação de 457 policiais, sendo 201 civis do DHPP e do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro) e 256 militares da região e da Corregedoria da PM. O caso segue sob segredo de Justiça.