Traduzir

Pesquisar

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Brasil registrou 61.619 homicídios em 2016, maior índice de violência da história

Riselda Morais



  Segundo o Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado nesta segunda-feira (30), o Brasil registrou em 2016, um total de 61.619  assassinatos; 07 homicídios por hora, o maior índice de mortes violentas da história do País. A taxa de homicídios por 100 mil habitantes no País é de 29,9. 
Comparados a 2015, o crescimento no número de assassinatos foi de 3,8%, o maior índice da história.
Os estados que registraram o maior aumento no número de homicídios por 100 mil habitantes foram Sergipe com 64, Rio Grande do Norte 56,9  e Alagoas 55,9. Já as capitais com maiores taxas de assassinatos por 100 mil habitantes são Aracaju, com 66,7, Belém, com 64, e Porto Alegre, com 64,1.
O Anuário destaca que a violência no Brasil em 2016 foi correspondente a uma bomba atômica. “Os mais de 61,5 mil assassinatos cometidos em 2016 no Brasil equivalem, em números, às mortes provocadas pela explosão da bomba nuclear que dizimou a cidade de Nagasaki, em 1945, no Japão”.
O número de latrocínios teve um aumento de 50% no período de 2010 a 2016.  Só em 2016, morreram 2.703 pessoas vítimas de roubo seguido de morte. As maiores taxas por 100 mil habitantes foram registradas em Goiás 2,8, Pará 2,7 e Amapá 2,4.
Crimes contra o Patrimônio dispararam, segundo dados do anuário, a cada um minuto, um carro é roubado ou furtado no Brasil. 
No período de 2015 a 2016, foram subtraídos 1.066.674 veículos no Brasil.
O número de estupros teve um aumento de 3,5% em 2016, foram registradas 49.497 ocorrências.
O Anuário trouxe também, dados sobre homicídios de mulheres, feminicídios e sobre pessoas desaparecidas.
 Em 2016, uma mulher foi assassinada a cada duas horas, um total de 4.657 mulheres foram assassinadas e apenas 533 casos foram classificados como feminicídios.
De 2010 a 2016, desapareceram 693.076 pessoas segundo os registros policiais. Só em 2016, desapareceram 71.796 pessoas.
A violência também aumentou dentro das escolas, 70% dos professores e diretores presenciaram agressão física ou verbal entre os alunos.
O registro do número de adolescentes infratores cumprindo medidas socioeducativas em 2014 foi de 24.628, destes 44,4% por roubo e 24,2% por tráfico de entorpecentes.
O número de policiais civis e militares vítimas de homicídio teve um aumento de 17,5% comparados a 2015. Só em 2016, foram assassinados 437 policiais, sendo 32,7% na faixa etária entre 40 e 49 anos, 56% negros, 98,2% do sexo masculino e 38,7% dos homicídios aconteceram a noite.
Em contrapartida as polícias ficaram 25,8% mais letais no mesmo período.  Em 2016, por decorrência de intervenções policiais, 4.224 pessoas foram mortas. 
No período de 2009 a 2016, 21.897 pessoas perderam suas vidas em ações policiais. Destes 99,3% são homens, 81,8% tem idade entre 12 e 29 anos e 76,2% são negros.
Na contramão do crime, que só aumentou, os gastos com as Políticas de Segurança Pública sofreu uma redução de 2,6%, teve gastos para União, Estados e Municípios de 81 bilhões. 
Já a Força Nacional teve aumento de 292% no número de profissionais mobilizados e despesas de R$ 319.684.253,83.

Malha fina da Receita Federal: Cerca de 100 mil empresas serão impedidas de transmitir PGDAS-D de Novembro

Riselda Morais



  A Receita Federal alertou que aproximadamente 100 mil contribuintes do Simples Nacional serão impedidos de transmitir a Declaração Mensal - PGDAS-D de novembro.
No combate aos diversos tipos de fraudes detectados nas informações prestadas pelas empresas nas Declarações, a Receita Federal identificou contribuintes que, sem amparo legal, assinalaram no PGDAS-D campos como “imunidade”, “isenção/redução-cesta básica” ou ainda “lançamento de ofício”. A marcação destes campos reduzem indevidamente o valor dos tributos a serem pagos.
A Receita alerta que, a partir do dia 21 de outubro, a empresa selecionada na malha da Receita, só poderá transmitir a declaração do mês, depois que retificar as declarações anteriores, gerar e pagar o DAS complementar. 
Ao se autorregularizar o contribuinte evita penalidades futuras e a exclusão do Regime.
A Receita informa ainda, que o aplicativo PGDAS-D no Portal do Simples Nacional indicará as declarações a serem retificadas. No mesmo aplicativo o contribuinte pode efetuar o cálculo dos tributos devidos mensalmente na forma do Simples Nacional e imprimir o documento de arrecadação (DAS).

Mais de 1,4 milhões de MEIs poderão ter a inscrição no CNPJ cancelada

Riselda Morais



   A partir do dia 22 de novembro, mais de 1,4 milhões de MEI - Microempreendedor Individual que estão inadimplentes, terão suas inscrições no CNPJ canceladas, segundo informações da Secretaria Municipal de Trabalho e Empreendedorismo - SMTE.
Quem tiver o CNPJ cancelado terá que abrir um novo CNPJ para continuar exercendo as atividades.
A Secretaria do Trabalho alerta ao microempreendedor que a baixa definitiva do CNPJ não poderá ser revertida e os débitos migrarão automaticamente para o CPF vinculado.
O cancelamento da inscrição da MEI no CNPJ está de acordo com as resoluções nº 36, de 2016 e n°39, de 2017, estabelecidas pelo Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (CGSIM) que regulamenta o previsto no parágrafo 15-B do artigo 18-A, da Lei Complementar 123, de 2016.
Poderá ter a inscrição suspensa a MEI que não entregou a Declaração Anual Simplificada (DASN-SIMEI) referente aos anos de 2015 e 2016 e não cumpriu com as contribuições mensais nos últimos três anos.
Para conhecer a situação da inscrição o munícipe pode acessar o Portal do Empreendedor e consultar usando o número do CPF ou CNPJ.
Segundo a Secretaria, o Micro Empreendedor pode regularizar sua situação enviando as Declarações de 2015 e 2016 para a Receita Federal ou fazendo o parcelamento dos débitos.
Quem regularizar a situação fazendo a entrega das declarações anuais ou realizando o pagamento das contribuições, o CNPJ não constará na nova listagem que será publicada após o dia 23 de novembro deste ano.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Comando de Policiamento (CPA/M-4) busca maior proximidade com a comunidade para melhorar a sensação de segurança

Riselda Morais

Da esquerda – Major PM Calderari, Ten. Cel. Santiago, Ten. Cel. Leandro, Cel. Comandante Santana, Ten. Cel. Arantes, Major PM Storai.
Cel. PM Comandante Marcelo Miranda de Santana e a Jornalista Riselda Morais 
       
Reunião entre o Comando de Policiamento CPA/M-4 e jornalistas da mídia regional
     Com o objetivo de melhor prestar os serviços a população e aumentar a sensação de segurança pública, na sexta-feira (06) o Cel. PM Comandante Marcelo Miranda de Santana - CPA/M-4, realizou uma reunião no salão nobre da sede do Comando, sito a Av. Amador Bueno da Veiga, 2.774 em Vila Esperança, para apresentar as demandas da região.

 Além de membros da imprensa regional, participaram também, os Comandantes das Unidades das áreas de atuação territorial Ten. Cel. Santiago - 2º BPM/M; Ten. Cel. Arantes - 29º BPM/M; Ten. Cel. Leandro - 39º BPM/M; Major Storai - 48º BPM/M; Major Calderari CPA/M-4; Ten. Ana Paula - CPA/M-4 e o presidente do Conseg Parque do Carmo Jaime Sato.
Segundo o Cel. Santana, na área que engloba os quatro batalhões são atendidas, diariamente, entre 450 e 600 ocorrências com viaturas no local, sendo que a demanda aumenta em feriados e finais de semana. São realizadas 12 a 13 prisões em flagrante e cerca de 04 foragidos da justiça são recapturados diariamente, alguns deles com mais de 20 passagens no sistema prisional. Uma arma de fogo é apreendida por dia. 
“A cada 15 dias nós temos uma ocorrência de gravidade, onde o policial enfrenta o marginal em uma troca de tiros”, informou Cel. Santana e observou “O policial é um ser humano igual a qualquer um de nós. Um homem, uma mulher, que tem contas para pagar, que tem filhos, tem um marido ou uma esposa e a cada quinze dias ele (a) é obrigado a trocar tiros com o ladrão”.
Para o Ten. Cel. Leandro preservar a qualidade do profissional que executa o serviço de segurança garante a qualidade dos serviços que são prestados e os resultados. Ele falou sobre o esforço da instituição que dispõe de três núcleos de atendimento psicossocial, sendo um núcleo na sede do 2º BPM/M, um núcleo no 39º BPM/M e o terceiro no 4º Batalhão de Ações Especiais e servem aos policiais de toda a Zona Leste e do Alto do Tietê. “A Associação Internacional de Gerenciamento de Estresse apontou que o profissional da Polícia Militar ocupa o primeiro lugar no ranking das profissões mais estressantes do Brasil e existe um esforço institucional para que se preserve a qualidade do profissional, para que ele preste um melhor serviço”, enfatizou o Ten. Cel. Leandro.
Quanto as reclamações da população, em relação  a demora da viatura em passar em patrulhamento nas ruas do bairro, o Cel. PM Comandante Santana explicou que “quando uma viatura atua em um flagrante, demora no mínimo, quatro horas no Distrito Policial, não podendo neste período realizar o patrulhamento”. Ele esclareceu também que o efetivo policial  desta região é de 2.842 policiais fixos e que “este efetivo não é suficiente para manter policiais parados nas ruas o tempo todo, as mudanças da previdência, estão impactando negativamente no efetivo, acelerando a inatividade dos policiais através da aposentadoria, com uma média de dois policiais a cada três dias se inativando”, informou ainda “Estamos procurando otimizar nosso serviço através da tecnologia e cada vez mais envolver a comunidade no trabalho de segurança pública, através do Programa “ Vizinhança Solidária”. São medidas simples que podem muito contribuir”, afirmou.
Para os Comandantes dos Batalhões, acima citados, as ocorrências de roubo, a transeunte, a residência, comércio, de veículo, de celular são a maior preocupação, porque impactam diretamente na sensação de segurança da população. “Há a violência com arma, faca ou outro instrumento, então nosso foco aqui, é combater primeiro os delitos de roubo”, enfatizou o Comando.
Quando se fala em “pancadões” ou “baile funk desorganizado” o Comando de Policiamento de Área Metropolitana - 4 afirma que a solução envolve várias áreas, a Polícia Militar; a Polícia Civil; o Conselho Tutelar porque muitos menores vão ao pancadão sem o conhecimento dos pais;  da Prefeitura porque geralmente acontecem junto a bares ou tabacarias que funcionam até tarde e envolve veículos com aparelhagem de som irregular; da comunidade, denunciando o pancadão antes dele se formar. “É um problema complexo e de difícil solução, o caminho é envolver vários órgãos. No pancadão você tem tráfico de drogas, prostituição, furto e roubo de veículos para ostentar. Apreender os veículos com o som potente, fechar o bar, recolher os menores para o Distrito Policial e só liberar com a presença dos pais, pode coibir ou pelo menos diminuir essa incidência”, afirmou o Cel. Santana.

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Praça principal de Vila Matilde é revitalizada e ganha acessibilidade

Riselda Morais

Praça Vereador João Aparecido de Paulo "Praça da Toco".


Prefeita Regional da Penha Fernanda Galdino
No sábado, (30) a Prefeita Regional da Penha, Fernanda Galdino entregou a população a revitalização da Praça Vereador João Aparecido de Paula, popularmente conhecida como Praça da Toco e ponto de encontro da população do bairro. A praça agora é inclusiva com acessibilidade em todo o entorno.
Através do mutirão “Bairro Lindo” a praça recebeu intervenções como limpeza de boca de lobo, poda das árvores, roçagem e pintura em bancos, mesas e guias.
Praça ganha Parklet para incentivo a leitura.
          Como incentivo a educação e a leitura a praça recebeu um parklet.
       A praça recebeu também a instalação de equipamentos novos de ginástica para a terceira idade, já o parquinho que já existia foi reformado e pintado. 



Segundo Fernanda Galdino, além da praça foram feitas várias ações como limpeza de boca de lobo e retirada das propagandas irregulares em forma de lambe-lambe e adesivos. 
“É um dia de muita alegria poder entregar esse espaço totalmente revitalizado e perceber que os moradores estão aprovando, isso é a nossa maior satisfação, fazer uma gestão eficiente e com a aprovação dos moradores”, declarou Fernanda Galdino.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Centro de Operações da Polícia Militar atende cerca de 40 mil ligações por dia

Riselda Morais

     Inaugurado em 2014, por um custo de R$ 85 milhões, o COPOM - Centro de Operações da Polícia Militar ocupa uma área de aproximadamente 10.500 m², atende a 39 municípios da grande São Paulo e através da central de atendimento ao público 190 atende em torno de 40 mil ligações por dia.
Coronel PM Comandante Fábio Luis Pelegrini com a equipe, delegados e presidentes dos Conseg
Com o aumento da demanda, para que o policiamento continue nas ruas, atendendo de forma efetiva e eficiente, o Centro de Operações foi implementado com mais de 239 civis de uma empresa terceirizada, que passaram por treinamento, curso de formação  com duração de 30 dias e trabalham sob a supervisão da Polícia Militar. “A Polícia Militar por muitos anos, tentou fazer o policiamento de forma única, como achava que era o certo. Hoje nós aprendemos que o cliente maior é a sociedade e ela tem que participar das demandas de Segurança Pública”, declarou o Cel PM Comandante Fábio Luis Pelegrini.
Segundo o 1º Tenente PM Mascarenhas, na demanda diária de atendimentos, cerca de 25%, o correspondente a 12 mil ligações atendidas vira ocorrência, há o deslocamento da viatura  para o local e de 5% a 6% são trotes. 
Tenente PM Mascarenhas durante palestra sobre o COPOM
O COPOM chama a atenção da população para que não passe trote, enquanto a atenção da polícia está voltada a identificar um trote, uma ocorrência de risco eminente a vida pode estar deixando de ser atendida. “No 190, a gente lida com emergência, um minuto que a gente for moroso no atendimento, pode acarretar a morte, cada segundo nosso é precioso” disse Mascarenhas e esclareceu: “Toda demanda nossa requer atenção, por mais que tenha indício de ser um trote, a gente trata com muita seriedade, não posso abandonar a ligação, ela só é descartada em última análise e em caso de dúvida é gerada a ocorrência”.
Além dos profissionais treinados, das viaturas, motos e do helicóptero Águia para o atendimento das ocorrências que oferecem risco eminente a vida ou ao patrimônio, o COPOM conta com tecnologia de ponta na identificação das chamadas, software “árvore de decisão”, onde o sistema gera a ocorrência de forma indutiva, automática; 353 câmeras sob o comando da PM e cerca de 2 mil câmeras de outros órgãos que operam de forma compartilhada. 
Para os estrangeiros há um interprete bilíngue, que fala os idiomas inglês e espanhol. “Ao ligar para o 911 ou 112 o sistema entende que trata-se de uma emergência e direciona a ligação automaticamente”, informa Mascarenhas.
Para os deficientes auditivos ou visuais o atendimento é feito via SMS, por policiais com treinamento diferenciado, para que isto aconteça, o cidadão deve procurar a base policial mais próxima, onde será realizado um cadastro para que ele tenha acesso ao número e, a partir daí, está apto a solicitar o atendimento quando surgir uma emergência.
Para agilizar o atendimento e a viatura se deslocar imediatamente, o COPOM recomenda: “Quando ligar para o 190, o cidadão deve informar a conduta (o que está acontecendo) e o local (endereço, referência), mantendo o máximo de tranquilidade possível para se fazer entender mais rapidamente. Passado a demanda para a viatura, o atendente continua colhendo informações para completar a ocorrência, mas com a viatura já a caminho”, orienta o Tenente Mascarenhas.
“É importante o Estado de São Paulo, através de sua população, saber como funciona a sua Polícia Militar. Muitas vezes, vendo uma viatura na rua, não se tem noção de que por trás dela existe toda essa estrutura que busca trazer a informação, instrumentos e conhecimento para poder melhor trabalhar na linha de ponta. Aqueles dois policiais que ficam na viatura não estão sozinhos, nós estamos aqui para dar apoio”, diz o Cel Marcelo Streifinger, chefe do Centro de Operações.
Cel Marcelo Streifinger, chefe do Centro de Operações.
Quando se trata de crimes cometidos por policiais, o Cel Streifinger é enfático: “Nós fazemos nossa parte, nossa lição de casa, a gente tem entre nós aqueles que eventualmente erram por deslize ou por intenção; de acordo com o tipo de erro tomamos providencia, demitimos ou expulsamos, procuramos corrigir nossos erros; entramos para ser polícia, se alguém desviar do caminho, somos os primeiros a buscá-lo e a tirá-lo”, declarou também que “o índice de aprovação da Polícia Militar é de 2% e mesmo assim são demitidos ou expulsos cerca de 200 a 300 policiais por ano”.
Para o Coronel Streifinger a “perturbação do sossego”, os famosos e incômodos “pancadões” são resultado de uma sociedade doente, da falta de educação e de compostura. “Nos temos uma família que não cuida dos filhos; uma família que não consegue controlar os seus, ficam fazendo perturbação; uma escola que não dá formação, porque a escola é para dar conhecimento e quem dá formação é a família, mas a família está pecando e a escola muitas vezes nem conhecimento dá. Aí isso deságua em problemas sociais e traz desdobramentos para a polícia”, observa.
Para os/as presidentes dos Conselhos Comunitários de Segurança, a polícia precisa ocupar o local onde são pontos de “pancadão” como medida de prevenção, impedindo a aglomeração dos indivíduos. “Pancadão é mais fácil resolver no início, não deixando se formar e mandar mais policiais para atender a ocorrência com menor tempo de espera”, solicitou o Sr. Norberto do Conseg do bairro do Belém.
Segundo o Coronel Streifinger, antes de ir trabalhar no COPOM, atuando no Comando Sudeste da capital, que vai do Aricanduva a Cidade Tiradentes, haviam 89 pontos simultâneos de baile Funk  “uma ocorrência de perturbação do sossego, muitas vezes, ocorre  também,  dano, desacato e lesão corporal leve até homicídio, uma vez que há resistência e depredação da viatura, já tivemos baixa de um policial” disse ele e orienta que: “A pessoa ou o grupo de pessoas, que reclama da perturbação do sossego, grave o pancadão. Chame a polícia para ela apreender , autuar o dono do veículo, qualifica-lo e levá-lo a delegacia. Vá junto até a delegacia fazer o Boletim de Ocorrência com a presença do perturbador e da vítima. Depois com a identificação do perturbador, a gravação, imagens e o B.O. a pessoa deve entrar com uma ação civil de 40 salários, no Juizado especial” e concluiu “Porque não tirar dinheiro dele, para que ele sinta no seu bolso a responsabilidade civil de seus atos”.

Participaram da reunião no COPOM, o Cel PM Comandante Fábio Luis Pelegrini; Cel Marcelo Streifinger, chefe do Centro de Operações; o chefe da Divisão de Operações CPA/M11 Major Claúdio José Marangom; Delegados da Polícia Militar; Delegados da Polícia Civil; Sargento Leone; Cabo Elan CPA/M11; Soldado Dornerles  e Soldado Nogueira do 51 DP; Presidentes dos Conseg; entre outras autoridades e membros da imprensa.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Plataforma digital “Brasil Que o Povo Quer” é um chamamento à sociedade para que ela participe de um novo programa de governo

Riselda Morais

   
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidenta do PT, senadora Gleisi Hoffmann
      Envolver os brasileiros e as brasileiras em um debate, ouvir o que a sociedade quer para o país, através de uma plataforma digital e a partir daí construir um novo programa para o Brasil, é o objetivo da iniciativa “Brasil Que o Povo Quer”, lançado pelo PT - Partido dos Trabalhadores e FPA - Fundação Perceu Abramo, na manhã desta quinta-feira, 21 de setembro, em São Paulo.
O evento de lançamento de “Brasil Que o Povo Quer”, iniciou com um debate sobre “Fome e Miséria no Brasil“ discutindo o tema “O que é preciso fazer quando a miséria e a fome voltam a crescer no Brasil?” e contou com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da presidenta do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), da ex-ministra Tereza Campello e do presidente da Fundação Perseu Abramo, Marcio Pochmann, do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad(PT-SP), do vereador Eduardo Suplicy (PT-SP), da deputada Benedita da Silva, do deputado Carlos Zarttini (PT-SP), dos senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Humberto Costa (PT-PE) e de representantes de movimentos sociais.
Em coletiva para a imprensa, Gleisi Hoffmann afirmou: “Essa consulta que nós vamos fazer através da plataforma, de um programa para o Brasil, não visa apenas 2018, não é só um programa de governo, mas é a construção de um projeto para o Brasil, uma visão de futuro para o Brasil, e obviamente vai nos dar base para a disputa de ideias em 2018”.
Ex-ministra Tereza Campello apresenta o Mapa da Fome da ONU

         Apresentado pela ex-ministra Tereza Campello, o Mapa da Fome da ONU mostra que o Brasil saiu dele durante os governos Lula e Dilma, quando conseguiu reduzir em 82% a população que passava fome. “Como diz o Lula, colocamos o pobre no orçamento. Alertamos para questão da fome, criamos o ministério com fome no nome, era o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Construímos um conjunto de políticas que valorizou o trabalhador: valorização do salário mínimo, merenda escolar, bolsa família, fortalecimento da produção de alimentos”.
Tereza afirmou que o atual governo tem tanto descaso com a população mais carente que tirou o nome do Ministério, aumentou o desemprego, acabou com o programa de cisternas e criou um conjunto de ações que coloca o Brasil com ameaça de voltar ao mapa da fome”.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enfatizou que “essa nova metodologia do PT, de fazer um programa de governo desafiando a sociedade a participar é uma inovação extraordinária”, e observou “fazer um chamamento à sociedade para que ela diga o Brasil que ela quer é a primeira demonstração de que o PT evoluiu e a esquerda evoluiu para compreender que o país não é nosso. Nós é que somos do país”.  Lula declarou acreditar que muita coisa boa será colhida porque o povo brasileiro saberá o que fazer e concluiu: “As pessoas são mais competentes do que a gente imagina, as pessoas querem contribuir mais do que a gente pensa e o resultado vai ser extraordinário para o país”, afirmou Lula.
Benedita da Silva destacou a importância de não deixar a fome retornar ao país, “Lembro quando visitamos o Betinho e ele falou que quem tem fome tem pressa”, lembrou que os mais contemplados com a diminuição da fome foram os pobres e negros, emocionada declarou: “Talvez muitos não saibam o que é fome, mas ela não deixa você pensar, ela faz com que você se submeta, que perca a esperança. A fome tira seus sonhos, por menor que eles sejam”, afirmou Benedita.
Vereador Eduardo Suplicy

       Já o Vereador Eduardo Suplicy citou a redução no número de pessoas beneficiadas pelo programa Bolsa Família, lembrou que todos os candidatos a presidente em 2014 afirmavam que iriam manter o programa, com números que provam a retroação acusou: “O governo Temer está contrariando um dos objetivos fundamentais art. 3º inciso XIII da Constituição que diz, que o objetivo fundamental é erradicar a pobreza, a marginalização e as desigualdades sociais e regionais.
Ao apresentar a plataforma digital, Marcio Pochmann lembrou que o país vive uma das piores recessões e disse acreditar que “dentro do espírito de escutar as diversidades do país, abrindo o partido para a sociedade poderemos sair das condições dramáticas nas quais nos encontramos”.
Além de ser aberta à participação de todos, onde quem acessar poderá apresentar suas próprias ideias e opinar nas ideias de outras pessoas, a plataforma https://brasilqueopovoquer.org.br também oferecerá debates transmitidos ao vivo na internet com a presença de ativistas, estudiosos e estudiosas e integrantes de movimentos sociais. Com base no conteúdo será gerado um relatório final que será entregue ao Diretório Nacional do PT com base no qual o partido irá construir um novo Projeto para o Brasil, que será apresentado pelo PT à sociedade ao final do processo, em 2018. “Esse é um projeto para escutar a maior riqueza desse país, que é a diversidade. Diversidade de gênero, diversidade de religiões, diversidade de cultura, diversidades regionais”, afirmou Pochmann destacando o papel da plataforma para “viabilizar a participação popular”, afirmou Marcio Pochmann.
Gleisi Hoffmann fez uma demonstração das funcionalidades da plataforma, na qual o povo brasileiro poderá “concordar”, “discordar” ou “pular” com os temas dos debates que abordarão questões, problemas e soluções dentro dos seguintes eixos temáticos:
-  A ordem mundial, a soberania e a defesa da nação.
- Participação popular, liberdade e direitos. Qual democracia queremos?
Integração nacional e serviços no Brasil: é possível construir um país mais justo para todos?
- O que é qualidade de vida para você?
- Quem pagará o aumento da infraestrutura e dos bens comuns no Brasil? 
- Como reduzir a desigualdade e garantir inclusão social no Brasil?
- Como mobilizar os recursos naturais e tecnológicos gerando riqueza para todos?

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Fernanda Galdino, Prefeita Regional da Penha abre canal de watts app para receber reivindicações dos munícipes

Prometendo ter olhar igualmente sensível aos distritos da Penha, Cangaiba, Vila Matilde e Arthur Alvim, Fernanda pede para a população enviar fotos e solicitações de serviços pelo canal para que chegue direto a ela.

Riselda Morais
Prefeita Regional da Penha, Fernanda Galdino
Avenida Patrocinio Paulista tem sucessões de buracos
      Tendo assumido a gestão há apenas um mês, a Prefeita Regional da Penha, Fernanda Maria de Lima Galdino tem como meta zerar os buracos nas vias dos distritos da Penha, Cangaíba, Vila Matilde e Arthur Alvim através de uma força tarefa que trabalha com equipes durante o dia e outras noturnas, em vias muito movimentadas, como é o caso da Avenida Patrocínio Paulista, onde os jornais da ACRM - Jornal do Momento News, Jornal Polo Paulistano e Gazeta de Vila Guilhermina - tem denunciado o abandono e reivindicado ações. “A Avenida Patrocínio Paulista já está na programação para até a próxima sexta-feira (22) receber a ação noturna, por ser um lugar que tem muito movimento, estamos tomando esse cuidado para não atrapalhar o transito", informou a prefeita Fernanda Galdino.
Ecoponto construído na gestão Haddad continua fechado a população
    A prefeita informou também, que está pedindo agilidade por parte da Eletropaulo, para fazer a instalação elétrica no Ecoponto da Avenida Gamelinha, fechado há mais de dois anos, e que logo irá fazer a inauguração, para que a população passe a descartar o lixo no local e preserve as margens do córrego, respeitando assim a natureza e evitando enchentes e insetos. 

Pessoas sem consciência ambiental jogam lixo nas margens do córrego

     Ainda sobre as margens do córrego Gamelinha, levei a prefeita, a necessidade de colocar grades entre a pista de caminhada e o córrego, onde um homem idoso caiu no mês passado e foi a óbito e sobre intensificar ações para que a população pare de jogar lixo dentro do mesmo.
Pista de caminhada sem grade de segurança. 
     Segundo Fernanda ela faz rondas periódicas pelos distritos para elencar qual deles recebe a ação de zeladoria na semana e tem convocado a população para a realização. Ela pede também que o munícipe denuncie, solicite ações de zeladoria, tapar buracos, entre outros serviços, para isso, ela disponibilizou a página da Prefeitura Regional Penha e as redes sociais, entre elas o watts app para receber denúncias e solicitações.   “Abrimos as redes sociais para que os munícipes nos ajudem, denunciando e solicitando a ação da equipe da força tarefa, do tapa buracos, de zeladoria, para isso criamos um grupo no Watts app 11 938033329. Para abrir a solicitação, basta fotografar o lugar e enviar junto com o nome da rua, altura (próximo a que nº da rua), nome do bairro, para que possamos enviar a equipe para fazer o serviço”, disse Fernanda.
     A prefeita Fernanda Galdino afirmou estar atuando de forma democrática e participativa, prometeu ter um olhar igualmente sensível aos quatro distritos da regional Penha e mandou um recado a população, no qual pediu para ela participar da sua gestão, solicitando serviços, fiscalizando-os e preservando-os depois de realizados. “A prefeita quer ouvir a população, os moradores como um todo e dizer que a prefeitura está aqui para cuidar do nosso bairro, participem de nossas ações, temos “Cidade linda “, “Bairro lindo “, zeladoria e plantio de árvores, o munícipe pode colaborar solicitando, fiscalizando e mantendo os serviços que são feitos pela Prefeitura Regional Penha,” disse Fernanda Galdino.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Feminicídio: No Brasil 2.925 mulheres são assassinadas por ano, cerca de oito mulheres por dia

Em São Paulo, 30% das mulheres assassinadas são vítimas dos companheiros ou ex.

Riselda Morais



       Com o machismo enraizado na sociedade brasileira, a mulher é submetida a uma série de abusos que começam pela agressão psicológica, verbal (ofensas e ameaças) e física até chegar ao assassinato. 
Lamentavelmente, em pleno século XXI ainda existem homens que pensam que a mulher é coisa sua, que tem posse sobre ela e usa como estopim para agressões e assassinato, o ciúmes, a desconfiança de traição, a traição, gravidez indesejada, dificuldades em aceitar a separação, disputa pela guarda dos filhos, as amizades ou porque ela não quis fazer aborto.
Segundo dados dos Ministérios Públicos Estaduais, no período de março de 2016 a março de 2017, o Brasil registrou oito casos de feminicídio por dia, um total de 2.925 mulheres assassinadas pelo companheiro, namorado, marido ou ex. 
O feminicídio é uma qualificadora do homicídio. Os homicídios qualificados têm pena que vai de 12 a 30 anos, enquanto os homicídios simples prevêem reclusão de 6 a 12 anos. 
O feminicídio passou a ser considerado crime hediondo, mas mesmo assim, muitos assassinos continuam solto.
Nos casos de homicídios entre casais, 70,1% das vítimas são mulheres, contra 29,9% que são homens. 
Ainda segundo o Ministério Público, considerando a taxa por 100 mil habitantes, nos registros de inquéritos em todo o País, o Estado de Alagoas lidera com 5,306 feminicidios, seguido pelo Distrito Federal com 4,823; Acre 3,988; Mato Grosso do Sul 3,581; Amazonas  2,306. 
O Estado de São Paulo registra uma taxa de 2,162 feminicídios por 100 mil habitantes, um terço do total de mulheres vítimas de feminicídio no País. 
No período de março de 2016 a março de 2017 foram abertos 974 inquéritos de feminicídios no Estado de São Paulo.
No primeiro semestre deste ano, 272 mulheres foram assassinadas no Estado de São Paulo, cerca de 30% delas, 93 mulheres foram mortas pelos maridos ou companheiros. 
No primeiro semestre deste ano, 29 mulheres foram assassinadas na capital paulista, 16 foram vítimas do namorado, marido ou companheiro.
Considerando a grande São Paulo foram 19 mulheres assassinadas em apenas três meses, sendo 11 assassinatos na capital.
Veja alguns caso ocorridos da capital paulista:
No sábado (12) Ricardo Daniel Pappalardo matou a ex-mulher, Geisa Daniele Soares Feitosa, na frente das filhas, em São Mateus, Zona Leste da capital. Ela tentou medida protetiva dia 04 de agosto na Delegacia de São Mateus, mas não conseguiu e acabou assassinada.
Na quarta-feira, dia 16 de agosto, por volta de 8h30, no bairro Jaguaré, zona oeste da Capital, um homem, de 22 anos, matou a ex-namorada, a operadora de caixa Mizaelly Mirelly da Silva, de 22 anos, e o filho do casal, Miguel Henrique Martins da Silva, de sete meses, na residência da mulher, situada na Rua Canto da Volta.
Na madrugada de domingo (20), o delegado Cristian Lanfredi, 42, que atuava na Assembléia Legislativa de São Paulo, matou a mulher, Cláudia Zerati, juíza, titular da 2ª Vara do Trabalho de Franco da Rocha, e depois se suicidou no apartamento do casal, na Zona Oeste. 
Na segunda-feira (21) Antonio de Souza, 62 anos, ajudante geral, agrediu e matou a mulher, Maria do Carmo de 67 anos, com socos e batendo a cabeça dela no chão da sala da casa, onde moravam, na Vila Brasilândia depois foi para o bar, embriagado contou o crime e a polícia foi chamada.
Também no dia 21, na Rua José Alves da Silva no Jardim Ângela, Zona Sul, uma mulher foi estrangulada pelo namorado.
Na terça-feira (22), no bairro de Canindé, depois de uma discussão, um policial militar matou a ex-mulher dentro da casa dela, onde ela morava com o filho de 07 anos. Apesar de fugir com a criança, ele ligou para a ex-sogra, avisou do assassinato e se entregou.
A lei 13.104/15, sansionada pela presidente Dilma Rousseff incluiu o feminicídio como uma modalidade de homicídio qualificado, quando o crime for praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino, seja a violência doméstica e familiar; ou menosprezo ou discriminação à condição de mulher; o  § 7º ao art. 121 do CP estabelece causas de aumento de pena para o crime de feminicídio em  1/3 até a metade se for praticado durante a gravidez ou nos 3 meses posteriores ao parto; contra pessoa menor de 14 anos, maior de 60 anos ou com deficiência; e na presença de ascendente ou descendente da vítima.  A lei alterou o art. 1º da Lei 8072/90 (Lei de crimes hediondos) para incluir o feminicídio como nova modalidade de homicídio qualificado, entrando, portanto, no rol dos crimes hediondos. Denuncie 180 ou procure a Delegacia da Mulher mais próxima.

Mantenha seu rosto livre das olheiras



   O sono da beleza é fundamental para acordamos bem. Quando dormimos bem amanhecemos bem dispostas, relaxadas e mais bonitas.Mas quando não dormimos bem o resultado é o aparecimento de olheiras, a irritação, o mal humor, a pele fica sem brilho e mais flácida. Paramos em frente ao espelho e lá estão as olheiras, a palidez e o cansaço complicando o dia.    Além das noites mal dormidas, as olheiras podem ter várias outras causas e só um(a) desmatologista pode apontar a origem da olheira para cada caso, entre elas pode ser hereditariedade, cansaço, proximidade à menstruação, exposição excessiva ao sol, fricção ao limpar, coçar demais a área em torno dos olhos, má respiração bucal, que prejudica a irrigação e a oxigenação na região dos olhos, bulimia e o tabagismo. A nicotina é a grande vilã neste processo,  prejudica a oxigenação e irrigação sanguínea e ainda danifica os pequenos vasos na área dos olhos causando as olheiras.
Adotar algumas medidas para evitar as olheiras pode ser uma boa saída.
– Procure dormir ao menos oito horas por noite. Estas horas fazem com que o organismo realize todas as funções necessárias durante o período noturno, além de proporcionar um descanso merecido;

– Mantenha horários fixos para dormir e acordar. Isso colabora para que seu relógio biológico não seja afetado;
– Para dormir, dê preferência para a posição de lado e atente-se para que a coluna esteja sempre alinhada. É recomendável utilizar um travesseiro para apoio da cabeça, em uma altura que se encaixe perfeitamente entre ela e o colchão, formando assim, um ângulo de 90 graus no pescoço. E outro entre os joelhos, que deverão estar, preferencialmente, semiflexionados;
– Durma em locais bem ventilados e em ambientes escuros. Foi comprovado cientificamente que a luz prejudica os ciclos biológicos e a produção hormonal, já que, quando dormimos na claridade as produções de cortisol e melatonina são interrompidas, dando uma sensação de cansaço pela manhã;
– Remova sempre e totalmente a maquiagem antes de dormir e hidrate a pele com cremes durante duas vezes ao dia;
– Beba pelo menos 1 litro de água por dia, pois ela é o remédio “natural” mais eficaz para hidratar a pele;
– Alimente-se bem. A vitamina C, por exemplo, ajuda a fortalecer as paredes dos vasos sanguíneos. Também é importante fazer as três refeições principais e, antes de dormir, fazer uma refeição leve.
Truques para combater as olheiras:
Compressas geladas
Compressas geladas com água e chás diminuem a inflamação. Os chás antiinflamatórios são os melhores: camomila, erva-doce, hortelã. O modo de fazer: “deixe sobre os olhos fechados compressas de algodão embebido em líquidos gelados por três minutos. Depois massageie de forma a reabsorver o edema.
Corretivo: disfarce, não milagre
Não use muita maquiagem a fim de disfarçar olheiras. Pode piorar. Tentar usar um corretivo muito claro tentando tapar tudo só modifica o problema: substitui uma meia lua escura por uma meia lua clara. O corretivo no tom exato da pele funciona melhor.
Uso correto do corretivo
Aplique com um pincel macio só de um lado do rosto. Distancie-se do espelho e observe se melhorou cinquenta por cento em relação ao outro lado. Se sim, aplique no outro lado do rosto. O restante da maquiagem se encarrega de desviar a atenção do problema.
Desvie a atenção
Se você tem muita olheira, destaque outras áreas do rosto com a maquiagem. Quem tem uma olheira muito profunda pode usar pouca maquiagem nos olhos e caprichar nas maçãs e na boca para roubar a atenção.
Tratamentos com desmatologistas
Podem ser tópicos, com despigmentantes e antioxidantes. E os feitos com especialistas: a luz intensa pulsada, que diminui o acúmulo de pigmento e o calibre dos vasos que estão circulando mal. Já a carboxiterapia aumenta a circulação local diminuindo a congestão, o edema e processo inflamatório, e o Co2 fracionado é indicado para pele envelhecida e com muito pigmento
Sono e hábitos
Dormir bem é um truque de beleza infalível. Assim como ter bons hábitos: diminua o fumo e a ingestão de sal e bebidas alcoólicas, que causam retenção de líquidos.
Emergências
Alie a compressa gelada e corretivo. Se mesmo com todos estes truques as manchas no rosto não te deixarem em paz, lance mão do acessório indispensável nestas horas: os óculos escuros.

Simplicidade - Riselda Morais

Viver com simplicidade
se manter alegremente
pois a multiplicidade
complica o que se sente

Se a tudo quero ter
vou em muitas direções
tenho pressa de viver
liberdade e sensações

O muito não faz feliz
é caminho sem descanso
tenho tudo que eu quis
e de querer não me canso

Pois o ponto de chegada
é também o de partida
e o ponto de encontro
é também de despedida

Porem se meu coração
busca uma coisa só
vou em única direção
sabendo o que é melhor

Mantendo minhas certezas
convivendo em harmonia
podendo fazer gentilezas
conservando muita alegria

A vida é o que é
aprecio o momento
sem tristezas ou dores
ansiedade ou lamento

Feliz com o que sou
grata pelo que tenho
pois o ontem já passou
o que aprendi mantenho

Não trago o peso do ontem
nem a ansiedade do amanhã
tristezas que não me contem
pois da felicidade sou uma fã

Sigo com a leveza
de um simples existir
agindo com a destreza
de quem sabe onde ir

Quisera eu conseguir
ser simples como uma flor
que com água, sol e ar
dá ao mundo cheiro e cor!

Perdoar é Libertar-me - Riselda Morais

Não gosto de magoar
Não nego, sou magoada
Aprendi a perdoar
Não sei se sou perdoada

Não deixo a ferida aberta
Faço-a cicatrizar
Ao curar a minha dor
Perdoar é me libertar

Mas não preciso esquecer
Basta-me apenas superar
E não quero reviver
Também não quero lembrar

Não guardo ressentimento
De quem quis me ofender
Não espero arrependimento
E não me deixo sofrer

Não posso guardar rancor
Para ele não me ferir
Pois a quem me magoou
Ele não vai atingir

Minha paz interior
Não depende de ninguém
Se eu for superior 
Vivo melhor que esse alguém

O ressentimento seria inútil
Se não fizesse mal ao ressentido
É nocivo, é feio, é fútil
Guardar já não faz sentido

Vejo o lado positivo
E aprendo a lição
Na próxima é instintivo
Defendo-me da traição

Prossigo com minha vida
Sem a levar muito a sério
Problema com nome e sobrenome
resolve-se sem mistério

Que me liberte o perdão
Da mágoa e ressentimento
Que me habite a compaixão
Com paz e bom sentimento

Não alimento a dor
Não me vence o contratempo
Em mim que reine o amor
E benéfico me seja o tempo!

TJSP multa organizadores do “rolezinho” do shopping Itaquera

Riselda Morais



      O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou multa de R$ 10 mil aos organizadores de “rolezinho” caso promovam novos encontros. 
Dois dos organizadores do “Mega Rolezinho O Retorno Shopping Itaquera (3 Anos) “, realizado no dia 26 de novembro de 2016, Davi Darlan Mendes e Paulo Henrique da Silva  foram intimados pela Justiça na tarde da quarta-feira (23) para pagar, R$ 1 mil cada um, por despesas processuais e honorários advocatícios do processo. 
A decisão do juiz Alexandre Böttcher, da 4ª Vara Cível de Itaquera, proíbe os organizadores de realizarem “aglomerações, algazarras, correrias” ou utilizarem “equipamentos de som em volumes altos” nas dependências do shopping. Essas atitudes, segundo a decisão, implica “na ameaça à segurança dos frequentadores e funcionários” do estabelecimento.
Os dois organizadores pretendem recorrer da decisão e se tiverem que pagar a multa, pretendem fazer uma “vaquinha“ via internet.
Segundo a Associação brasileira de Logistas os “rolezinhos“ nos Shoppings faz o faturamento cair cerca de 25%, prejudicando o faturamento das lojas e dos vendedores.
O Shopping Itaquera havia protocolado o pedido, que agora foi deferido pela Justiça de São Paulo, através de um oficial, que acompanhou o rolezinho.
Darlan Mendes é morador do bairro de Lageado e presidente da Associação Rolezinho A Voz do Brasil e pretende voltar a organizar “rolezinhos“ em parques e shoppings, conforme postou em sua página na rede social dia 14/08. 
“ ROLEZINHOS tem datas marcadas para voltar aos SHOPPINGS E PARQUES de São Paulo, segundo apurado Fenômeno terá mesma proporção dos anos de 2013/2014, além dos Rolezeiros inúmeros Grupos de Juventude, movimento social, e ONGs estão se unindo em tratativas, dando uma força maior e retomada ao movimento, apurado também a causa vai vir com inúmeras bandeiras, e seguimentos”.
No dia 15 ele fez mais uma postagem na qual ele confirmou através da mesma página: “Fiquem atentos as nossas postagens todos vocês que Curtiram nossos eventos, vamos volta as Manifestações e ROLEZINHOS em parques e praças e shoppings”.