Traduzir

Pesquisar

sábado, 27 de dezembro de 2008

Shopping Leste Aricanduva infringe a Lei Cidade Limpa

Por: Riselda Morais

Outdoors expostos pelo Shopping Leste Aricanduva














A Lei é para todos, mas o Shopping Leste Aricanduva não tem entendido assim. Enquanto os pequenos empresários se apressaram em diminuir o tamanho das placas das fachadas de seus comércios para se adequar a lei, grandes empreendimentos como este Shopping continua expondo outdoors frequêntemente ignorando a Lei Cidade Limpa.
A subprefeitura de Itaquera responsável pela fiscalização da região informou que os fiscais estiveram no local na terça-feira (23/12) e constataram que o Shopping Leste Aricanduva está infringido a Lei Cidade Limpa (14.223/06). Um Auto de Intimação e um Auto de Multa no valor de R$ 19 mil foram aplicados.
Segundo a Lei, caso os outdoors não sejam retirados no prazo de 15 dias - a contar desta data - receberão mais uma multa, desta vez, com valor dobrado em relação à primeira e ainda poderão ter as peças publicitárias apreendidas pela subprefeitura.
A direção do Shopping foi contactada mas até o fechamento desta edição não se manifestou a respeito.

O Natal nos revela Deus como Criança

Por: Riselda Morais
O Natal é um período que toca os nossos corações e não deve ser apenas dedicado ao consumismo para a alegria do comércio, aproveitemos este período para refletirmos e lembrarmos que o dia de nosso Senhor Jesus é aquele consagrado para servi-lo e honrá-lo e que o façamos de coração puro. É no Natal que aprendemos a lição do amor incondicional. O nascimento de Cristo em um ambiente pobre, em uma manjedoura, aponta para os desígnios de Deus; elevar-se na humildade, aproximar-se dos pobres, estar ao lado dos pequeninos. Maria, nossa “Mãe” eterna o esperou com zelo e o preparou para sua missão terrena.
‘“Ave Maria cheia de graça o senhor é convosco, bendita sois entre as mulheres, bendito é o fruto de vosso ventre Jesus”.
O Verbo se fez carne e habitou entre nós. Dignou-se a assumir nossa humanidade sem deixar de ser Deus.
É o reino de Deus que o menino nascido em Belém vem trazer: Reino de Paz, Verdade, Justiça, Liberdade, Amor e Santidade.
Nos símbolos de Natal temos as cores, a cor verde simboliza a esperança e a vida e a cor vermelha simboliza o amor de Deus que nos envolve e também a manifestação de nosso amor que espera pelo nascimento do filho de Deus. A montagem da Árvore lembra a Árvore da Vida, citada na Bíblia: “No meio da Praça e em ambas às margens do rio cresce a árvore da vida e suas folhas servem para curar as nações. (Apocalipse 22.2). Já o presépio marca a presença de Jesus na manjedoura. O Papai Noel é uma homenagem ao padre Saint Claus que próximo a esta data distribuía presentes a população. Em sua figura o bom velhinho toma para si os atributos do “Todo Poderoso”:
a) Onisciência – Conhece cada criança e seu comportamento. E poderosamente conhece o pedido de cada uma.
b) Onipresença – Numa única hora, consegue estar em todos os lugares, na difícil missão de descer pela chaminé e deixar o presente.
c) Onipotência – Tem poder para julgar, fazer renas voarem e ainda para controlar o tempo.d) Eternidade - É sempre o mesmo por séculos.
As luzes lembram que com a encarnação o mundo acolhe a Luz do Verbo Divino, no Natal encontramos esta luz na luzes que enfeitam a árvore, iluminando nosso caminho interior e neste sentido a árvore nos revela nosso próximo como irmão e Deus como criança.
Cristo é Rei e veio para reinar; mas o seu Reino não é deste mundo; não se confunde com o “Reino do homem”; seu Reino começa neste mundo, mas se perpetua na eternidade, para onde devemos ter os olhos fixos, sem tirar os pés da terra.

Campanha de Evangelização 2008

Com o tema “Acolhamos o Príncipe da Paz”, a Campanha de Evangelização 2008, realizada pela CNBB durante o período do Advento tem o objetivo de despertar os leigos para o compromisso evangelizador e para a responsabilidade pela sustentação das atividades pastorais das igrejas no Brasil. A coleta da Campanha será dias 13 e 14 de dezembro, o 3º Domingo do Advento. A campanha tem a finalidade de angariar fundos que garantam a continuidade da obra evangelizadora, a manutenção da CNBB nacional e regional e financiamentos de projetos evangelizadores. É o gesto concreto por meio do qual toda a igreja católica no Brasil participará. 45% do total arrecadado serão destinados às dioceses, 20% aos regionais e 35% ao Fundo Nacional de Evangelização.

Visita a Santa Sé

A visita anual da presidência da CNBB a Santa Sé aconteceu entre os dias 27 e 31 de outubro, foram visitados diversos organismos pontifícios, entre eles o Colégio Pio Brasileiro, a Rádio Vaticano. Este foi o segundo encontro da presidência com o Papa Bento XVI no Vaticano e vem significar transparência no relacionamento entre a CNBB e o Vaticano, colocando-o a par de tudo que é feito no Brasil, em sinal de comunhão.
Na Rádio Vaticano os bispos se encontraram com os brasileiros que lá trabalham e gravaram entrevista destinada ao programa brasileiro em Roma, os bispos falaram sobre a Igreja brasileira e seu relacionamento com a sociedade, sobre a Amazônia, as conclusões da V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e Caribe e sobre a Missão Continental.

Um Sim à Vida

Por: Riselda Morais

A Igreja Católica manifestou-se favorável a doação voluntária de órgãos. Considerando o grande número de pessoas que estão à espera de algum tipo de órgão, a Igreja Católica divulgou nota onde manifesta sua posição a respeito da doação de órgãos de pessoas com morte encefálica comprovada. Para a igreja a doação de órgãos é um gesto de amor fraterno em favor da vida e da saúde do próximo, um gesto de grandeza de espírito, nobreza humana e solidariedade, ela lembra a palavra do Senhor que diz: “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mc 10,45).
O Catecismo da Igreja Católica afirma: “a doação gratuita de órgãos após a morte é legítima e pode ser meritória”
O Papa João Paulo II por ocasião do 18º Congresso Internacional sobre Transplantes de Órgãos disse: “A doação de órgãos é uma decisão livre de oferecer, sem recompensa, uma parte do próprio corpo em benefício da saúde e do bem-estar de outra pessoa”.
A igreja manifestou sua solidariedade às milhares de pessoas doentes que estão em lista de espera em todo o país, na expectativa de receber um órgão para sua sobrevivência, recuperação e saúde e encoraja às famílias a fazerem a doação de órgãos de forma consciente e legalmente protegidos, como um gesto de amor solidário em consonância com o evangelho da vida. Além da doação de órgãos para transplantes a igreja encoraja também a doação de medula e de sangue.
A igreja lembra que a doação de órgãos exige a observância dos princípios éticos que proíbe a provocação da morte dos doadores, a comercialização e o tráfico de órgãos, que se respeite a inviolabilidade da vida e que a doação pelo doador e pela família seja livre e consciente.
A Lei Federal nº 10.211 de 23 de março de 2001, determina que a família tem o direito de decidir a doação de órgãos da pessoa em estado de morte encefálica; assim, aqueles que se dispõem à doação, devem manifestar previamente aos familiares a sua intenção. O Sistema Nacional de Transplantes é que decide sobre os critérios de destinação justa dos órgãos doados e sobre a organização das listas de espera, evitando e coibindo toda tentativa de comércio de órgãos.
A doação de órgãos não contraria à fé cristã na ressurreição final, pois “Deus dá vida aos mortos e chama à existência o que antes não existia” (Rm 4,17). Todos aqueles que se dispõe a doar órgãos aos irmãos, tenham a certeza de que o amor e tudo o que se faz por amor permanecerão para sempre: “o amor jamais acabará” (1Cor 13,8) diz a nota.

Papa: Nações “ricas em fé e em vocações” estão perdendo identidade

Por: Riselda Morais

“Nações ricas em fé e em vocações agora perdem sua própria identidade sob a influência nociva e destrutiva de certa cultura moderna”, afirmou o Papa Bento XVI, neste domingo (05/10) durante a homilia da missa que celebrou na Basílica de São Paulo Extramuros, com a qual abriu a 12ª Assembléia Geral Ordinária do Sínodo de Bispos.
A missa foi concelebrada por 52 cardeais, 45 arcebispos, 130 Bispos, 85 Presbíteros e 14 membros da Igreja Ortodoxa.
Segundo o Papa na cultura moderna há quem diga que ”Deus Morreu” e quem se declare “Deus”. O Papa perguntou se “Quando se elimina Deus do próprio horizonte é possível ser feliz” e em seguida respondeu que “no fim o homem acaba mais sozinho, e a sociedade fica mais dividida e confusa.
"A mensagem de consolo que recolhemos dos textos bíblicos é a certeza de que o mal e a morte não têm a última palavra, mas que, no fim, Cristo vence. Sempre! A Igreja não se cansa de proclamar esta boa nova", disse o Papa e acrescentou que este anúncio será renovado de forma significativa durante toda a 12ª Assembléia do Sínodo dos Bispos.
A finalidade do Sínodo é "favorecer uma estreita união e colaboração entre o papa e os bispos de todo o mundo" e os trabalhos serão realizados durante as próximas semanas.
Do Sínodo, participarão 253 religiosos, dos quais 90 são da Europa, 62 da América, 51 da África e nove da Oceania.
Os Bispos católicos estão preocupados com o desconhecimento da Bíblia por parte dos fiéis e alertam para o perigo de várias “interpretações fundamentalistas” ou “equivocadas” do Antigo e do Novo Testamento.
O lema do Sínodo é “A Palavra de Deus na Vida e na Missão da Igreja” e o principal objetivo dos Bispos é decidir como se pode corrigir o desconhecimento entre os fiéis, “superar a indiferença, a ignorância e a confusão sobre as verdades da fé acerca da Palavra de Deus”.