Traduzir

Pesquisar

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Pró-Sangue: estoque de sangue do tipo O + e O - está em estado crítico; seja doador você também!

Riselda Morais

Eu faço minha parte, faça a sua você também! Riselda Morais

A Fundação Pró-Sangue está precisando de doadores. O estoque de sangue do tipo O+  e O-  está em estado crítico. Faça sua parte e ajude a salvar vidas. 
Doar sangue é doar vida e não dói.
Doar sangue é também um gesto de solidariedade e conscientização. 
A doação de sangue é fácil, segura, rápida e qualquer pessoa que tenha saúde e generosidade no coração pode fazer, porque essa é a única forma de ajudar a quem precisa tomar sangue, já que por mais evoluída que esteja a ciência, ainda não há nenhum substituto para o sangue humano, porque o sangue é muito mais que uma substância que corre em nossas veias.
O sangue é um tecido vivo que circula pelo nosso organismo levando oxigênio e nutrientes para todos os órgãos do nosso corpo. 
O sangue é produzido na medula óssea que fica dentro dos ossos tais como vértebras, quadril e esterno e é composto de hemácias, leucócitos, plaquetas e plasma. 
As hemácias também são chamadas de glóbulos vermelhos, a função delas é levar às células do organismo, o oxigênio obtido nos pulmões por meio da respiração. Cada  elemento tem uma função específica, seja de transporte de oxigênio, proteção do organismo ou coagulação do sangue.
A quantidade de sangue varia de pessoa para pessoa, em média o volume de sangue está entre 4 a 6 litros e doar um pouco não faz falta, não faz mal a saúde e após a doação o organismo recupera a quantidade doada em poucas horas, basta tomar bastante água e líquidos.
Uma coleta de doação de sangue retira em média 450 ml e salva três vidas.
Importante lembrar que os estoques podem variar diariamente e variar também o tipo sanguineo que o banco de sangue precisa. Para consultar, ver a lista de postos e os horários de funcionamento acesse o site da Fundação Pró-Sangue http://www.prosangue.sp.gov.br
Para doar sangue é preciso:
- Ter entre 18 e 65 anos.
- Pesar mais de 50 kg.
- Ser saudável.
- Apresentar um documento de identificação.
As mulheres podem doar sangue mesmo no período menstrual ou que estejam tomando anticoncepcional. A doação de sangue não oferece nenhum risco de contrair doenças infecciosas e todas as vezes que doa-se sangue são feitos diversos testes e o doador recebe os resultados.
Restrições que impedem a doação de sangue:
- Gestantes ou em período de amamentação. Após o parto normal é necessário aguardar três meses.
- Ter tido gripe ou febre no últimos sete dias.
-Ter tido dengue nas últimas quatro semanas.
- Ser portador de doença de chagas. Morar ou ter morado em casa onde existia o barbeiro.
- Ter epilepsia ou fazer uso de droga anticonvulsivante.
- Ter tido malária.
- Ter tido hepatite ou icterícia após os dez anos de idade.
- Estar em jejum, ter ingerido bebida alcoólica ou refeição gordurosa na últimas quatro horas.
- Ter tido infecção pelo HIV, vírus da hepatite B ou C.
- Ter sido usuário de drogas injetável.
Não podem doar por um período de 12 meses as pessoas que tenham sido expostas a uma destas situações:
- Tenham feito sexo em troca de dinheiro ou drogas ou com parceiros que fizeram.
- Tenham tido vários parceiros sexuais, parceiro desconhecido ou ocasional.
- Homens que tiveram relações sexuais com outros homens.
- Ser egresso de instituições penais.
- Ter recebido ou ter tido parceiro sexual que tenha recebido transfusão de sangue / ou hemoderivados ou feito hemodiálise.
- Ter feito tatuagem.
- Ter tido doença sexualmente transmissível, exceto sífilis que a recusa é definitiva.
- Ter feito uso de droga ilícita, não injetável.
Se você é saudável, não há restrições e pode ser um doador. 
Lembre-se: Doar sangue é um ato de amor e os doadores são a única fonte de sangue para os pacientes que dele necessitam.

Doe Sangue!  Salve Vidas!

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Ricardo Lewandowski classifica impeachment de Dilma como “tropeço na democracia” e critica mudanças no ensino médio feitas por medida provisória

Riselda Morais



Nesta segunda-feira (26), durante aula na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, aqui na capital paulista, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski classificou o impeachment da presidenta eleita Dilma Rousseff como um “tropeço na democracia”.
Na gravação feita pela revista Carta Capital o ministro Lewandowski, que presidiu o julgamento da ex-presidente no Senado e ao fim do julgamento da petista, tomou a decisão de permitir o “fatiamento” da votação e assim, o Senado pôde manter os direitos políticos de Dilma, mesmo retirando-a do governo afirma: “Esse impeachment, todos assistiram e devem ter a sua opinião sobre ele. Mas encerra exatamente um ciclo, daqueles aos quais eu me referia, a cada 25, 30 anos no Brasil, nós temos um tropeço na nossa democracia. Lamentável”, afirmou. Lewandowski mostrou esperança de que os universitários talvez possam garantir um futuro melhor para a democracia: “quem sabe vocês, jovens, conseguem mudar o rumo da história”.
Lewandowski também criticou a reforma curricular do Ensino Médio, que foi feita através de medida provisória editada pelo governo de Michel Temer (PMDB) em que torna obrigatória apenas as matérias Português e Matemática e defendeu que o governo realize mais plebiscitos e referendos. “O Estado democrático de direitos é aquele que amplia direitos, aquele que complementa a democracia representativa mediante a participação popular. Ocorre que entre nós a participação popular é muito limitada. Raramente houve um plebiscito, um referendo”, lamentou e prosseguiu com a crítica: “Reforma do Ensino Médio por medida provisória? Alguns iluminados se fecharam num gabinete e decidiram ‘Vamos tirar educação física, artes’. Nem projeto de lei foi. Não se consultou a população”, enfatizou.
Já no final da aula Lewandowski explicou que em uma democracia o cidadão elege um político baseado na proposta do partido, que pode expulsá-lo caso abandone essa proposta depois de eleito. E ressalvou “no caso brasileiro, onde os partidos não têm propostas, as negociações “são feitas add doc”, a cada projeto e por meio de trocas das mais variadas espécies e alianças”.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Há 05 dias do primeiro turno das eleições, João Doria do PSDB, lidera a pesquisa nas intenções de voto

Conheça quem são os candidatos a prefeito e vice-prefeito de São Paulo melhores colocados

Riselda Morais



No próximo domingo, 02 de outubro, estaremos mais uma vez a caminho das urnas para eleger o Prefeito com o vice-prefeito de São Paulo e 55 vereadores. 
Para fazermos uma boa escolha é importante que conheçamos além do candidato a prefeito, quem é o vice-prefeito, aquele que agrega a boa imagem, alia força política, fica ali no cantinho durante as entrevistas e que se eleito, de uma hora para outra pode virar nosso prefeito, por isto é importante ter consciência que está votando nos dois candidatos e não apenas no candidato a prefeito.
Há 05 dias do primeiro turno das eleições, o candidato a prefeito do PSDB João Doria está liderando as intenções de voto. Como vice-prefeito, Dória tem o Bruno Covas, 36 anos e neto do ex-governador do Estado Mário Covas. 
Em segundo lugar nas pesquisas está aparecendo Celso Russomano do PRB com 22%, tem como vice a empresária Marlene Campos Machado, do PTB, de 57 anos. Marlene é mulher do deputado estadual Campos Machado. 
Em terceiro lugar as pesquisas apontam Marta Suplicy, foi deputada federal, prefeita de São Paulo, Ministra do Turismo do Governo Lula, Ministra da Cultura no primeiro Governo Dilma e Senadora pelo PT, em setembro do ano passado filiou-se ao PMDB. Marta tem como vice o vereador Andrea Matarazzo, de 59 anos, já foi secretário de estado, ministro, subprefeito da Sé. 
Matarazzo tentou ser o candidato a prefeito pelo PDSB mas foi derrotado nas prévias, trocou o antigo partido pelo PSD e se aliou a Marta Suplicy, do PMDB.
Em quarto lugar aparece o prefeito Fernando Haddad do PT com 11% das intenções de voto. O vice é Gabriel Chalita, de 47 anos, do PDT, escritor de livros, foi secretário estadual e municipal educação. 
Em 2012, Chalita disputou a prefeitura pelo PMDB e ficou em quarto lugar.
Depois aparece Luiza Erundina, PSOL com 5%, foi prefeita e é deputada federal por São Paulo, tem como vice o deputado federal Ivan Valente, do PSOL, de 70 anos.
Major Olimpio do SD aparece com apenas 1% de intenções de voto, é presidente estadual do partido e tem como vice David Martins, 51 anos, metalurgico.
Levy Fidelix, do PRTB também aparece com apenas 1% das intenções de voto, o vice é Jairo Glikson de 47 anos.