Traduzir

Pesquisar

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

64ª Edição - “Café com Poesia” um encontro multi cultural em forma de Sarau

Livro “Coletânea Poética Popular”  traz homenagem a Riselda Morais e ao Jornal do Momento.

Riselda Morais


Poetisa e Especialista em Comunicação Riselda Morais e o Presidente da Casa do Poeta “Lampião de Gás” de São Paulo e do Movimento Poético em São Paulo, Wilson de Oliveira Jasa durante lançamento da Coletânea Poética Popular



Sarau reúne músicos, poetas , escritores, compositores, dançarinos e atores na Biblioteca Hans Christian Andersen


Eduardo Brodowiski durante apresentação no sarau “Café com Poesia”
  A  64ª edição do “Café com Poesia” foi realizada no dia 29 de novembro, das 12 às 16 horas, na Biblioteca Hans Christian Andersen, no bairro do Tatuapé na capital paulista. Trata-se de um encontro multi cultural, em forma de Sarau, que reúne músicos, poetas, escritores, compositores, dançarinos, atores, enfim... artistas em geral, oferecendo música, poesia, dança, um banho de cultura através das artes e muita alegria. 
Durante esta edição do Café com Poesia foi realizado também o lançamento do livro “Coletânea Poética Popular“  da Casa do Poeta Lampião de Gás e do Movimento Poético de São Paulo sob a Organização de Wilson de Oliveira Jasa.
Na página 107 do livro, Wilson de Oliveira Jasa faz uma homenagem poética ao Jornal do Momento e a esta poetisa e jornalista que vos escreve, o que muito me honra, agradeço o carinho.
Wilson de Oliveira Jasa começou sua vida de poeta ainda aos sete anos de idade, publicou suas primeiras poesias em jornais aos 18 anos, já publicou 6 livros individuais e organizou mais de 60 coletâneas poéticas. 
Segundo Wilson, o Movimento Poético de São Paulo surgiu em 1980, com o objetivo de unir e confraternizar os diversos grupos e movimentos de poetas  que surgiram na época, assim passaram a se encontrar todos os dias com poesias que iam desde a clássica até a moderna. 
“Nosso objetivo é levar a poesia em forma divulgação do amor que está faltando no mundo. Os poetas são aqueles, que são sementes de amor, mensageiros de amor, de paz, isso é muito importante.”, enfatiza Wilson.
O Café com Poesia teve seu 1º Encontro multi cultural e artístico realizado em 08 de agosto de 2009, com apresentações mistas e harmônicas, apresentando poesia e música no Parque Ecológico do Tietê, desde então, suas apresentações já foram realizadas em Parques, Bibliotecas, na Câmara  Municipal de São Paulo, Virada Cultural e no Largo do Rosário na Penha. 
O Café com Poesia oferece lazer e cultura, leveza e descontração para todas as faixas etárias permitindo ao público interagir e assistir a diversas apresentações culturais em clima de festa, aconchego e o sabor do nosso cafezinho bem brasileiro!

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Mudanças climáticas: A Natureza responde as agressões sofridas.

Escassez de água doce, pode ser apenas um sinal, do que ainda está por vir, se a seca continuar!

Riselda Morais


Composto por seis represas, o Sistema do  Cantareira abastece 55 % da região Metropolitana de São Paulo

Somos privilegiados, vivemos no Planeta Água, um planeta onde 75% de sua superfície é coberta de água e mais privilegiados ainda, porque moramos no Brasil, um país que tem 12% da água doce superficial no mundo. No entanto, 97,5% da água do planeta é salgada, apenas 2,5% da água da Terra é doce; sendo que, 1,72% da água doce está congelada nas geleiras e calotas polares; 0,75% estão em forma de água doce subterrâneas; 0,02% dessa água está contida em plantas e animais e apenas 0,01% de toda água do planeta está disponível em rios, lagos e represas, é dessa pequena fração que dependemos para sobreviver, mas não estamos sabendo valorizar a água doce, esse recurso natural primordial para nossa existência, que nos foi ofertado pela natureza tão generosamente. O desperdício, a contaminação dos rios, represas e mananciais; a poluição do ar, que provoca o efeito estufa e as mudanças climáticas, vêm nos mostrando que nossas fontes de água não são inesgotáveis, e que já passou da hora de todos nos preocuparmos com a preservação dos recursos hídricos e da natureza como um todo. É chegada a hora de percebermos e de mudarmos nossos hábitos, de sermos uma nação sustentável.
No Brasil, o Nordeste sempre sofreu com a seca, mas os nordestinos aprenderam a lidar com a falta de água, a sobreviver a consecutivos anos de estiagem, mas neste ano, outras regiões, Estados como São Paulo e Minas Gerais que sempre tiveram chuvas constantes, foram surpreendidos com a seca e assistem lamentando, as represas e rios, sendo poluídos e secando, hoje, convivemos em São Paulo, com o medo de ficar sem água em nossas torneiras. 
- Estaria o Sudeste preparado para aprender a sobreviver a anos de seca como o Nordeste? Não resta dúvida que as consequências da seca, de estiagens longas por dois, três, quatro anos aqui no Sudeste, seriam mil vezes mais desastrosas que no Nordeste, uma vez que aqui estão as grandes indústrias, milhões de comércios, as hidrelétricas e mais de 80 milhões de pessoas, consumindo milhões de litros de água diariamente, nas três maiores e mais populosas cidades do Brasil, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.
Segundo a ONU, 768 milhões de pessoas no mundo, não possuem acesso a água potável, ela alerta que, se em curto prazo, não houver mudanças de hábitos, até 2030, quase metade da população global terá problemas de abastecimento e em 2025, aproximadamente 40% viverão em regiões onde a água escasseará e em 2050 apenas um quarto da humanidade terá acesso a água. Ainda segundo a ONU, no último século, mais de 2 bilhões de pessoas sofreram com as secas no mundo, das quais, 11 milhões perderam a vida em consequência dela. Na África, Oriente Médio, Norte da China, América do Sul, muitos Estados sofrem com a falta de água e se hoje, muitos têm menos água do que precisam, os especialista alertam que, no início do próximo século, um terço das nações terá escassez de água de modo permanente. A contaminação das águas pode provocar mais que a sede, provoca a morte de pessoas por doenças como diarreia e malária, a morte dos peixes, animais, da vegetação, enfim, a seca e a poluição mata a fauna e a flora.
Independentemente do nível social, estado ou cidade onde se vive, é importante que façamos uso consciente da água, que tanto precisamos para beber; na hora de fazer higiene, cozinhar, limpar a casa, irrigar plantas, lavar o carro e tão importante quanto, é não poluir rios, lagos, mananciais, não jogar lixo nas ruas, margens dos córregos e estradas que vão poluir nossas águas. Podemos contribuir com a preservação, com pequenas mudanças de hábito, como tomar banho rápido (um banho demorado gasta de 95 a 180 litros de água), fechar a torneira ao escovar os dentes ou fazer a barba (deixando a torneira aberta você estará gastando de 12 a 20 litros de água por minuto), fechar bem a torneira (uma torneira pingando desperdiça cerca de 46 litros por dia); fechar a torneira enquanto ensaboa a louça e abrir só para o enxágue; não jogar óleo pelo ralo da pia (um litro de óleo jogado na pia polui 25 mil litros de água); evitar lavar o carro com mangueira em casa (desperdiça até 560 litros em 30 minutos), varrer a calçada e não lavar com a mangueira; usar regador para regar as plantas e se for gramado usar mangueira com “esguicho-revolver”.
A natureza está respondendo as agressões sofridas, ao desmatamento, a poluição das águas e do ar, com as mudanças climáticas, com a seca, com o calor excessivo, com o derretimento das geleiras que faz o nível do mar subir, enfim, a seca pode ser apenas um sinal do que ainda está por vir!