Traduzir

Pesquisar

quarta-feira, 12 de março de 2014

Iniciada vacinação contra HPV em escolas e postos de saúde de todo o Brasil

Meta é vacinar 5,2 milhões  de meninas de 11 a 13 anos contra o vírus HPV, principal causa do câncer
de colo de útero

Riselda Morais
                                                                                             
Foto: Antonio Carlos Borges Malta
“Com estas medidas, nós estamos garantindo que as meninas deste País sejam mulheres saudáveis,
 porque vocês são o futuro  deste país e como são também o presente temos que fazer essas vacinas”


A presidenta Dilma Rousseff e o Ministro da Saúde Arthur Chioro, deram inicio nesta segunda feira (10), à vacinação contra o vírus HPV (Papiloma Vírus Humano), em cerimônia realizada no CEU Profª Elisabeth Gaspar Tunala, no bairro Butatã  em São Paulo.
O vírus HPV é a principal causa do câncer de colo de útero, que é o quarto tipo de câncer mais frequente entre as mulheres, ficando atrás apenas do câncer de mama, do de colon e reto e o terceiro que mais mata.
“O HPV é um vírus que passa de pessoa a pessoa, por meio da pele, das mucosas, durante o ato sexual. Na maior parte dos casos essa infecção se cura, só que numa parte significativa de casos - é por isso que o HPV é um problema de Saúde Pública - a gente tem um risco muito grande de desenvolvimento do câncer e de outras lesões importantes”, esclarece Arthur Chioro.
O Ministério da Saúde tem como meta vacinar 80% do público alvo, cerca de 5,2 milhões de meninas entre 11 e 13 anos. A vacina, composta por três doses, passa a fazer parte do calendário nacional, está sendo aplicada nas escolas públicas e privadas que aderiram à estratégia e nos Postos de Saúde e estará disponível, durante todo o ano, nas 36 mil salas de vacinação da rede pública de saúde. Depois de aplicar a primeira dose, haverá um intervalo de seis meses para a aplicação da segunda dose e o reforço será tomado cinco anos após a primeira dose.
“Nos estamos vacinando as meninas, mas estamos pensando em todas as mulheres brasileiras, de todas as classes sociais, em particular, aquelas mais pobres, que teriam dificuldade de pagar R$ 500,00 cada dose, ou seja, R$ 1500,00 do seu bolso para poder tomar uma vacina tão importante quanto a vacina contra HPV”, enfatizou o Ministro.
No mundo,  270 mil mulheres morreram no ano passado, vítimas de câncer de colo de útero e perineo.
No Brasil, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer, surgem anualmente, 15 mil novos casos do câncer de colo do útero e perineo, desses, 4,8 mil mulheres vão a óbito.
Para o primeiro ano de vacinação, o Governo Federal adquiriu 15 milhões de doses da vacina a um custo de R$ 465,3 milhões de reais, o preço praticado foi de R$ 31,02 por dose. Segundo o Ministério da Saúde, a vacina tem eficácia de 98% e já é usada em 51 países, é quadrivalente, confere proteção contra 4 subtipos do HPV (6, 11, 16 e 18), sendo o 16 e o 18 os responsáveis por 70% dos casos de colo de útero em todo o mundo. 
Segundo o Ministro da Saúde Arthur Chioro, em 2015, a vacina passa a ser oferecida para as meninas de  09 a 11 anos de idade e em 2016 às meninas que completam 09 anos, fase que melhor se beneficia com a proteção da vacina.
Para a produção nacional da vacina, o Ministério da Saúde firmou Parceria para o Desenvolvimento Produtivo com o Instituto Butantan e o laboratório privado Merck Sharp & Dohme. Nos próximos cinco anos - período necessário para a transferência de tecnologia ao laboratório brasileiro - o Ministério investirá R$ 1,1 bilhão na compra de 41 milhões de doses da vacina.
O Governador Geraldo Alckmin lembrou que a vacina não substitue o exame papanicolau e que o HPV não atinge só as mulheres, nos homens ele causa o câncer peniano, cancro, condilomas, entre outros e falou sobre a importância da produção nacional da vacina contra o HPV, 
“O Estado de São Paulo é conhecido como o Estado das fábricas, mas a nova fábrica que nós vamos ter aqui no Butantan, da vacina do HPV, ela é a mais importante; porque é a fábrica da saúde e da maior riqueza que nós temos que são as meninas e as mulheres de São Paulo e do Brasil”, diz Alckmin.
Durante o evento, o prefeito Fernando Haddad anunciou que o Hospital Santa Marina será reaberto como Hospital Público com 250 leitos.
A Presidenta Dilma Rousseff fez um apelo e citou a frase da campanha para que as mães e os pais se mobilizem para que as meninas se vacinem contra o HPV.
“Cada menina é de um jeito, mas toda menina precisa de proteção”, ela mostra que a gente tem de sempre comemorar o fato de que cada menina é diferente, tem uma forma de ser e isso, é muito bonito e muito importante, cada uma tem sua individualidade, mas é obrigação do Estado garantir proteção a todas as meninas”, afirmou Dilma.
A Presidenta Dilma enfatizou que as meninas de hoje são as mulheres de amanhã e que terão papel protagonista na história do País, uma vez que as mulheres vêm mudando progressivamente a própria história e das outras mulheres. 
“Com estas medidas, nós estamos garantindo que as meninas deste País sejam mulheres saudáveis, porque vocês são o futuro  deste país e como são também o presente temos que fazer essas vacinas”, afirmou.
        Participaram do evento a Presidenta Dilma Rousseff, o Governador Geraldo Alckmin e Lu Alckmin, Ministra Eleonora Menicucci de Oliveira da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Ministro da Saúde Arthur Chioro, Ministro da Relações Exteriores Luiz Alberto Figueiredo Machado, Prefeito Fernando Haddad e Estela Haddad, Vice-prefeita Nádia Campeão, Senador Eduardo Suplicy, Assessor Especial da Presidência da República Marco Aurélio Garcia, Dr. David Uip  Secretario de Estado da Saúde, Deputados Arlindo Chinaglia, Francisco Chagas, Janete Pietá, Carlos Zarattini, Jorge Calil Diretor do Instituto Butantan, Jarbas Barbosa Secretário de Vigilância em Saúde, José de Filipe Secretário M. de Saúde, Cesar Callegari Secretário M. de Educação e Denise Motta Sec. Especial de Políticas para as Mulheres.

SMT estima chegar, neste ano, a 70 bairros com Programa “CET no seu Bairro”

Riselda Morais

Foco do programa é fazer que parte do dinheiro arrecadado com multas volte para pelo menos uma parcela da população que não tem visto a CET atuando naquela região e as vezes quando vai lá, vai para multar, não vai para fazer intervenção, diz o Secretário de Transportes Jilmar Tatto


       Visando a questão de Segurança e Mobilidade no trânsito e percebendo a necessidade de atuar mais nos bairros que não tem presença continua da CET, a Secretaria Municipal de Transportes lançou  o “Programa CET no seu Bairro”.
A proposta é realizar ações que facilitem o trânsito nos bairros e atendam às necessidades relativas a sinalização e novas alternativas viárias.
“O tema mobilidade é um tema presente na circulação, tem bairros na cidade que tem problemas sérios de circulação e intervenções simples, pequenas, acabam facilitando e muito a vida de quem está lá, naquele bairro, tanto do ponto de vista de segurança do pedestre, quanto dos usuários de carros, moradores, comerciantes e crianças que vão para as escolas, afirmou Jilmar Tatto.
Serão escolhidos sete bairros por mês, em  cada um haverá um posto móvel da CET que funcionará como uma gerência itinerante de engenharia de tráfego, recebendo reclamações, sugestões.
Na primeira semana é realizada a escolha dos bairros com foco nas solicitações e reclamações dos munícipes, além da indicação da JET e das Subprefeituras, na segunda semana é feito o mapeamento de todas as demandas e necessidades desses bairros, na terceira semana é realizado o desenvolvimento dos projetos em cima das necessidades identificadas e na semana seguinte é realizada a ação efetiva, a execução das ações.
A meta para este ano é chegar a 70 bairros, realizando a manutenção e implementação de sinalização viária, pintura de faixas de pedestres, intervenções geométricas, lombadas, rotatórias, manutenção semafórica, operação de travessia em frente as escolas, definição de rota segura para os escolares, ações de educação no trânsito e, dentro das escolas através de teatro, mímicas e caminhadas da cidadania, trilha de apoio em postos móveis da CET, em uma ação simultânea com outros órgãos e empresas, entre elas a SPTrans, Ilume, outras Secretarias e Subprefeituras realizando a remoção de carcaças e veículos abandonados, podas de árvores, pintura de guias, adequações de calçadas, tapa-buracos, cata bagulhos, revisão e substituição de iluminação pública.
“O orçamento é da CET, de multa de trânsito, fundos de trânsito, não é uma coisa nova do ponto de vista orçamentário”, esclarece o Secretário  de Transportes Jilmar Tatto e enfatiza, “Se arrecada de multas e se arrecada na cidade, é para voltar para pelo menos uma parcela da população que as vezes não tem visto a CET atuando naquela região e as vezes quando vai lá, vai para multar, não vai para fazer intervenção, este é o foco deste programa na cidade de São Paulo”, afirmou Jilmar.
Perguntado sobre a logística e mobilidade nos dias de jogos da Copa do Mundo, o Secretário de Transportes esclareceu que o traçado das delegações, times de futebol, autoridades  e dos torcedores periciados que podem usar o carro e autorizados a usar o estacionamento para ir a Arena, não é prioritariamente a Radial Leste e sim a Marginal Tietê e a Jacu-Pêssego e entram por trás, se houver necessidade a Radial Leste será usada como plano emergencial. Já os torcedores usarão o transporte público, prioritariamente o Metrô e ônibus.