Traduzir

Pesquisar

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Dores crônicas atingem 28,7% dos paulistanos


Quase um terço dos paulistanos sofre com dores que já se tornaram crônicas. A Faculdade de Saúde Pública da USP entrevistou 2.401 pessoas e concluiu que 28,7% têm o diagnóstico. Entre as principais causas estão as dores na coluna, dor de cabeça, enxaqueca e transtornos psiquiátricos como a ansiedade e a depressão.
A dor crônica se caracteriza pela presença constante ou periódica de episódios de dores por um período mínimo de três a seis meses. Alguns pacientes, no entanto, relatam casos que chegam a durar anos.
O levantamento da USP aponta também outra conclusão:as mulheres sofrem mais com o problema do que os homens. Enquanto 20% dos homens afirmam ter dores crônicas, entre as mulheres esse índice chega a 34%.
"Os motivos ainda não são claros, mas existem algumas hipóteses como a alteração do perfil hormonal durante o período pré-menstrual", diz a enfermeira Karine Leão Ferreira, do Grupo de Dor do HC.
Porém, dizem os médicos, uma coisa é certa: o tratamento precisa passar por diferentes áreas da medicina. No HC, fazem parte do Grupo de Dor fisioterapeutas, psicólogos e educadores físicos, além dos médicos.
Também chama a atenção a prevalência de dor crônica entre jovens de 18 a 29 anos: 20%. O índice é considerado alto pelos especialistas. As causas estão associadas principalmente ao estilo de vida.
Sedentarismo, obesidade, stress e automedicação formam uma combinação propícia para que cada vez mais jovens tenham dores crônicas. A pesquisa da USP revela um indício do problema. Cerca de 40% dos obesos e 30% das pessoas com sobrepeso ouvidas relataram sofrer com dores constantes. "Hoje, as pessoas estão mais suscetíveis a fatores estressantes e depressores, o que piora ainda mais os casos de dor", alerta Manoel Jacobsen, chefe do Grupo de Dor.
Jacobsen afirma que muitos médicos ainda têm dificuldades para diagnosticar corretamente os casos de dores crônicas e que os pacientes devem procurar serviços especializados para obter tratamento.
A boa notícia é que, desde que corretamente tratadas e dependendo das causas, a dor crônica pode ser curada. "Toda dor tem tratamento e algumas delas, como a fibromialgia, podem ser completamente revertidas", diz.
- 32,9% dos pacientes entrevistados não utilizaram nenhum medicamento nos 12 meses anteriores à pesquisa
- 3 a 6 meses é o período mínimo para que a dor seja considerada crônica
- 20% é a prevalência de dor crônica relatada por pacientes jovens, de 18 a 29 anos

Com expansão, Metrô terá 4,5 milhões de passageiros em 2010


Com o Plano de Expansão, novas composições entraram em funcionamento na Linha 2-Verde
Um dos grandes destaques nas intervenções do Metrô é a construção da Linha 4-Amarela, que está em ritmo acelerado. A extensão total da linha, entre Vila Sônia e Luz, é de 12,8 quilômetros. Cerca de 60% das obras civis da Linha 4-Amarela já estão concluídas.
Em 2010, deverão entrar em operação as estações Butantã, Pinheiros, Faria Lima, Paulista, República e Luz. Para tal, serão adquiridos 14 novos trens (84 carros).
A fase final da Linha 4-Amarela, que contempla as estações Vila Sônia, Morumbi, Fradique Coutinho, República, Oscar Freire e Higienópolis, tem previsão de conclusão para 2012.
Concluída, a Linha 4-Amarela atenderá cerca de 1 milhão de pessoas por dia. Além dos moradores da capital, serão beneficiadas pela linha as cidades de Caieras, Várzea Paulista, Jundiaí, São Caetano, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Ferraz de Vasconcelos, Suzano e Mogi das Cruzes.Linha 2-Verde
A Linha 2-Verde do Metrô se estendeu por mais de 1,1 quilômetros com a inauguração da estação Alto do Ipiranga, em 2007. Em 2010, o ramal será ampliado até a Vila Prudente. Os investimentos na Linha 2- Verde são da ordem de R$2,5 bilhões e agregarão mais 4,1 quilômetros ao sistema.
Já a Linha 5-Lilás, que liga o Capão Redondo à região de Santo Amaro, será ampliada em mais duas estações: Aldolfo Pinheiro e Brooklin/Campo Belo, totalizando 5,7 quilômetros de extensão. Em 2008, tiveram os processos desapropriação das áreas necessárias.
O governo do Estado anunciou no final de 2008 o projeto inicial da futura Linha-6 Laranja. Prevista inicialmente para ligar a Estação São Joaquim ao bairro da Freguesia do Ó, a Linha 6 também chegará à Vila Nova Cachoeirinha e Brasilândia. Quando estiver concluída, a Linha 6-Laranja terá cerca de 18 quilômetros e 17 estações.

Anvisa fixa mudanças para propaganda de medicamentos


Já estão valendo as novas regras que disciplinam a propaganda, a publicidade e a promoção comercial de remédios no Brasil. A resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que trata do assunto (RDC 96/08) deu aos anunciantes e agências de publicidade seis meses para que se adequassem às exigências. Entre as principais mudanças está a restrição à participação de celebridades em propagandas de remédios.
A restrição se aplica a artistas, esportistas ou outros profissionais de notoriedade que sejam leigos em medicina e farmácia e vale para as propagandas de remédios que não precisam de prescrição médica.
Os famosos não poderão mais exibir seu nome, imagem ou voz recomendando o medicamento ou sugerindo o uso. A prática de distribuir brindes também sofreu restrições: de agora em diante serão permitidos apenas os institucionais (que trazem o nome do fabricante). A referência aos produtos, nos brindes, está proibida.
A resolução também atualiza as regras para a propaganda de medicamentos que precisam de prescrição médica e traz condições para a veiculação em eventos científicos e campanhas sociais, além de estabelecer critérios para a distribuição de amostras grátis. Para este último ponto, o prazo de adequação das empresas vai até dezembro deste ano.
A gerente geral de Monitoramento e Fiscalização de Propaganda da Anvisa, Maria José Delgado Fagundes, explica que as regras vão proporcionar informações claras ao consumidor. "O objetivo é garantir que as informações veiculadas sejam corretas, equilibradas e acessíveis", disse.
Na opinião do procurador da República Fernando de Almeida Martins, a legislação é uma nova ferramenta de trabalho não só para a vigilância sanitária. "A resolução é um grande avanço porque caracteriza bem situações como a prática da publicidade abusiva. Sem dúvida, será um instrumento a mais para o trabalho dos órgãos de defesa do consumidor", afirmou.
Antes da publicação da resolução, o assunto foi discutido em consulta pública. Ao todo, foram recebidas 857 manifestações. O assunto também foi tema de reuniões e seminários com a sociedade, o governo e o setor regulado. Foram realizadas quatro audiências públicas, três delas no Congresso Nacional. Após a publicação, o aperfeiçoamento da resolução continuou sendo discutido na Câmara Setorial de Propaganda, composta por representantes de diversos segmentos da sociedade.
Outras regras
Informação
- Nas propagandas dirigidas ao público leigo, os termos técnicos devem ser escritos de forma que facilite a compreensão.
Propaganda disfarçada
- A resolução também proíbe usar, de forma não declaradamente publicitária, espaços em filmes, espetáculos teatrais e novelas para promover os medicamentos, além do uso imperativos, como "tome", "use", ou "experimente". A veiculação de propagandas indiretas que, sem citar o nome do produto, utilizem-se de símbolos ou designações também está proibida.
Advertência - As propagandas terão que trazer advertências sobre os princípios ativos. Propagandas de medicamentos que apresentem efeitos de sedação ou sonolência deverão trazer advertência que alerte para os perigos de se dirigir e operar máquinas.
Infantil - Ficam proibidas, na TV, propagandas ou publicidades de medicamentos em programas destinados a crianças.
Excessos - Fica vedado relacionar o uso do medicamento a excessos no álcool ou comida.
Preço - comparações de preço dirigidas aos consumidores só poderão ser feitas entre medicamentos intercambiáveis (medicamento de referência e genérico). A comparação deve ser feita entre os custos de tratamento ou, no caso de medicamentos de uso contínuo, entre as doses diárias definidas.
Amostras - A distribuição de amostras grátis de remédios que não precisam de receita continua proibida e a resolução traz uma nova proibição: distribuir amostras de vacinas. Amostras grátis de anticoncepcionais e medicamentos de uso contínuo passam a conter, obrigatoriamente, 100% do conteúdo da apresentação original. Já no caso dos antibióticos, a quantidade mínima deverá ser aquela suficiente para o tratamento de um paciente.
Para os demais medicamentos sob prescrição, continua a valer o mínimo de 50% do conteúdo original.

Novo Enem será usado por 42 universidades


Das 55 universidades federais do País, 42 já decidiram usar o novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em seus processos seletivos de 2009 e 2010.
O prazo de inscrições para o exame, que será realizado em outubro, começou na segunda-feira (15) e vai até o dia 17 de julho. Até o início da tarde da terça-feira (16), mais de 305 mil estudantes já haviam se inscrito para o novo exame.
As universidades tiveram quatro opções na hora de definir se adotariam ou não o novo Enem como processo seletivo: como fase única; como primeira fase do processo; em combinação com o vestibular já existente ou como fase única para as vagas que sobrarem do vestibular. Instituições em fase de criação, como as universidades federais da Integração Latino-Americana (Unila), da Integração Amazônica (Uniam), Luso-Afro-Brasileira (Unilab) e da Fronteira Sul (UFFS), também já decidiram adotar o exame quando entrarem em funcionamento.
As provas, divididas em quatro grandes áreas do conhecimento - linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas - vão valorizar o raciocínio lógico e exigir menos memorização. "O exame continuará medindo as competências e habilidades do estudante do ensino médio, acabando com a cultura da ‘decoreba’, das fórmulas prontas, e estimulando a capacidade de raciocínio", explica o ministro da Educação, Fernando Haddad. Além de estimular a reestruturação dos currículos do ensino médio, o novo processo pretende democratizar as oportunidades de acesso às vagas na educação superior federal e possibilitar a mobilidade acadêmica (intercâmbio de estudantes e professores entre universidades), já que, com uma única prova, no local em que mora, o estudante poderá participar de seleções de diferentes partes do País.
Os estudantes interessados em participar do exame deste ano devem fazer a inscrição na página eletrônica do Enem (http://sistemasenem2.inep.gov.br/Enem2009/). A taxa é de R$ 35, com isenção para alunos de escolas públicas e estudantes que comprovem renda insuficiente.
Fonte: Secretaria de Comunicação da Presidência da República

Nova Marginal do Tietê vai receber mais


Prefeito Gilberto Kassab, governador José Serra, vice-governador Alberto Goldman e o secretário Mauro Arce (Transportes) anunciam Nova Marginal Tietê

A Nova Marginal do Tietê não só vai desafogar o trânsito, mas também ampliar a área verde e melhorar a qualidade de vida no município de São Paulo. O Governo do Estado vai investir R$ 50 milhões na preservação do meio ambiente. Os recursos serão destinados ao plantio de 83 mil novas árvores, a construção de um parque ecológico e a instalação de uma ciclovia.
Para melhorar o tráfego, serão três novas faixas de cada lado, com 23 km de extensão, quatro novas pontes e três viadutos para melhorar a fluidez das vias local, auxiliar e expressa. As obras, que devem ser entregues em outubro de 2010, vão ampliar em 23 km cada lado da via.
No discurso em que apresentou o planejamento das obras, o governador de São Paulo José Serra enfatizou a importância do parque, que vai ser muito útil na prevenção de enchentes, e da ciclovia, que vai interligar, num primeiro momento, São Miguel (Paulista) até Itaquá (Itaquaquecetuba).
"O investimento ambiental é significativo. Nós vamos esverdear toda a região da Marginal", afirmou.
As obras da Nova Marginal Tietê vão criar dois mil empregos diretos e seis mil indiretos.
Fruto de uma parceria entre a Prefeitura e o Governo de São Paulo, o orçamento das obras é da ordem de R$ 1,3 bilhão - cerca de R$ 200 milhões virão das concessionárias. "É uma obra que é financiada com recursos do Tesouro e com dinheiro público das concessionárias, que é dinheiro do pedágio, segundo projeto e orientação do próprio Governo", disse Serra.
Atualmente, a marginal Tietê apresenta filas de congestionamento de 30 km, em média, nos períodos de pico, o que representa 25% do total de congestionamento medido na cidade de São Paulo. O desperdício de tempo significa 1,7 milhão de horas/ano e o de combustível, 1,5 milhão de litros/ano. Com as obras, o tempo das viagens diminuirá em aproximadamente 35%.

Finalmente Anatel proíbe Telefônica de vender Speedy por falhas em serviço


O acesso a internet através do speedy tem se tornado cada dia mais difícil. Por mais tempo que se deixe o modem ligado o DSL não estabiliza, olhar aquela luzinha piscando chega a ser torturante, e quando finalmente ele estabiliza por algumas horas a velocidade é lenta, foge a tradução da palavra em inglês (Speed - velocidade, rapidez), neste caso é lentidão, dificuldade de transmitir dados.
Outro transtorno para quem usa o speedy é que o serviço é contratado para 24hs por dia, no entanto, ele tem funcionado das 9:00 hs às 18:00 hs, a noite é adeus a internet.
Pior que isso é ligar no 10315, o atendimento ao cliente faz o consumidor de bobo, primeiro manda inverter os cabos (esta inversão não traz benefício nenhum, na verdade eles só querem saber se os cabos estão bem conectados), depois pedem para limpar os arquivos temporários do micro (louvável já que excluir os arquivos *tmp, deixa o micro mais rápido por não guardar arquivos e cookies que só ocupam espaço desnecessariamente), mas nada tem a ver com o funcionamento do modem, logo não vai resolver o problema, assim, ocorrem várias reclamações até o consumidor descobrir que nada tem a ver com os cabos e sim com as configurações feitas na própria telefônica.
Eles gostam mesmo é de passar o número de protocolo dizendo que vai enviar um técnico de cabeamento que nunca vai até o local, e cada vez que se liga, ouve-se as mesmas coisas e recebe-se mais um número de protocolo. Este problema vem se prolongando mes após mes e as contas continuam chegando com os valores integrais como se o serviço estivesse sendo prestado satisfatóriamente.
Agora, finalmente, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) proibiu a Telefônica de vender o Speedy, produto de acesso à internet em banda larga.
A suspensão se deve à sucessão de falhas no serviço ocorridas nos últimos 12 meses.
A decisão deve durar até a prestadora comprovar para a Anatel que está tomando medidas para melhorar a qualidade do serviço e para coibir novas falhas. Se descumprir a medida, a empresa pode ser punida com multa de R$ 15 milhões, além de R$ 1.000,00 por assinatura habilitada.
A agência também determinou que a operadora informe os clientes, com a seguinte mensagem, que o produto está suspenso: "Em razão da instabilidade da rede de suporte Speedy, a Anatel determinou a suspensão, temporariamente, da sua comercialização". A Anatel também exigiu que a empresa apresente no prazo de 30 dias um plano para resolver os problemas que têm provocado o transtorno aos usuários do Speedy.
Atualmente, a Telefônica tem cerca de 2,6 milhões de usuários do Speedy no Estado de São Paulo.
O consumidor continua aguardando que o serviço já contratado seja prestado com eficiência.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Bancos demitiram mais do que contrataram no primeiro trimestre


Em movimento inverso ao ano passado, em 2009, os bancos demitiram mais, contrataram menos e com salário menor, nos primeiros três meses deste ano, afirma o Dieese.
As instituições cortaram funcionários mais velhos e qualificados com maior salários e admitiram menos funcionários, pessoas mais jovens por salários menores.
Segundo o levantamento sobre o sistema financeiro, os bancos que operam no Brasil fecharam 1.354 postos de trabalho no primeiro trimestre deste ano.
No turnover (renovação periódica do quadro de funcionários) deste ano, as empresas financeiras desligaram 8.236 bancários com remuneração média de R$ 3.939,84 e contrataram 6.882 por uma média salarial de R$ 1.794,46 entre os meses de janeiro e março, uma diferença de 54,45% na faixa de renda e 1.354 funcionários a menos no mercado.
Em si tratando de escolaridade, 84% dos desligados tinham ou estavam cursando ensino superior, em contrapartida apenas 61,4% dos contratados tinham esse grau de escolaridade. Jovens entre 18 e 24 anos compõem o quadro de 44,3% dos contratados e 13,5% dos desligados.
No ano passado, houve movimento semelhante: os 10.184 bancários desligados de janeiro a março tinham rendimento médio de R$ 3.160,30 e os 13.323 contratados ganhavam em média R$ 2.075,14, uma diferença de 34,24%.

Álcool é “combustível” da violência doméstica



O álcool funciona como "combustível" para a violência doméstica comprova um estudo realizado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifest), durante um ano, com 7 mil famílias em 108 cidades brasileiras.
Em 49,8%, quase metade das agressões que acontecem dentro de casa, o autor das agressões físicas estava embriagado, constataram os pesquisadores durante as entrevistas realizadas para o estudo que comprovou nacionalmente a relação entre a bebida alcoólica e maus-tratos.
O estudo aponta também a tolerância à agressão, a vítima perdoa mais facilmente o agressor quando ele está sob o efeito de bebidas, por considerar o álcool o culpado e não o violentador, acreditando que quando sóbrio, a rotina de violência cessa.
Segundo o estudo a violência impulsionada pelo alcoólismo persiste por mais de 10 anos e 50% dos agressores bêbados são das classes média e alta, sendo 33% dos agressores da classe média e 17% de classe alta.
O dinheiro não é o ciclo de agressão perpetuado por tanto tempo, visto que, 48,7% das vítimas de agressão não dependem economicamente do agressor, apontam os dados do Disque-Denúncia 180 que recebe ligações sobre violência doméstica de todo o País.
Para Gabriel Andreuccetti, pesquisador do Departamento de Medicina Legal da Universidade de São Paulo a relação do álcool e o impulso para as agressões é fisiológica, a bebida etílica chega ao cérebro, aguça o sistema nervoso simpático, rebaixa a critica e aumenta agressividade, explica.
Para os pesquisadores, tanto a violência doméstica quanto o consumo de bebidas alcoólicas são fenômenos complexos. Um funciona como fósforo aceso dentro de um barril de pólvora do outro.
Mais uma vez é constatado que o álcool age contra a vida, na matéria acima foi constatado que álcool e direção não combinam, levam à morte e nesta matéria constatou-se também, através de estudos, que álcool e violência estão relacionados, destruindo a paz familiar, destruindo vidas e levando vítimas de violência doméstica à morte.

Lei Seca reduz em 6,92% mortes no trânsito paulista

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, a fiscalização da Lei Seca, que proíbe o motorista de dirigir alcoólizado, reduziu o número de mortes no Estado em 6,92% comparados os períodos de julho de 2007 a abril de 2008 e julho de 2008 e abril de 2009.
Ainda segundo dados do levantamento da Secretaria, o número de feridos no trânsito também teve queda de 23,2%.
A restrição de álcool para quem dirige evitou cerca de uma morte e 96 feridos por dia em São Paulo.
No período anterior a vigência de Lei Seca - de Julho de 2007 a abril de 2008 - 4.029 pessoas perderam a vida no trânsito e com a vigência da Lei, entre julho de 2008 e julho de 2009 o número caiu para 3.750. O número de feridos que no mesmo período que antecede a Lei Seca foi de 125.765 caiu para 96.589.
Neste período 279 mortes foram evitadas e 29.176 pessoas deixaram de ficar feridos em acidentes de trânsito no Estado. Na capital paulista a redução de mortes foi 6,59%, o número de mortes foi reduzido de 622 para 581 e o de feridos teve redução de 12,88%, caindo de 24.602 para 21.433.

44,5 milhões de pessoas acessam a internet no Brasil

O número de internautas aumenta a cada dia em nosso país.
O número de brasileiros que acessam a internet em casa ou no trabalho atingiu a marca de 44,5 milhões em maio deste ano.
Do total, 34,5 milhões de internautas usaram a rede em pelo menos um dos dois ambientes, segundo pesquisa do Ibope.
O tempo médio de navegação foi de 40 horas e 41 minutos no mês de abril, tempo que mantêm o Brasil na liderança de uso da internet.