Traduzir

Pesquisar

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Aécio Neves afirma ter convicção que irá para o segundo turno

Riselda Morais
“Minha candidatura é a única que está crescendo em todas as últimas pesquisas eleitorais. Se me derem a vitória em São Paulo, vocês terão uma presidência  republicana, honrada e digna, que vai tratar daqueles que mais precisam com muita sensibilidade e muita generosidade”, afirmou Aécio Neves.

Reunião com Imprensa Regional

Riselda Morais e Aécio Neves

Reunião com imprensa regional

         O candidato à Presidência pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves afirmou nesta sexta-feira (26/09) ter convicção que irá para o segundo turno e que se eleito presidente será o grande parceiro do Governador Geraldo Alckmin para o desenvolvimento do Estado de São Paulo. 
“O governador Alckmin, que será reeleito no primeiro turno, fez muita coisa por São Paulo na mobilidade, na segurança, em todas as áreas. E ele fez tudo isso tendo um governo federal de oposição. No momento em que ele tiver a mim como um aliado no governo federal, nós vamos dar a São Paulo um salto que ninguém jamais deu”, disse Aécio. “Vamos juntos fazer o maior governo da história de São Paulo”, completou.
Durante entrevista a jornalistas de mais de 80 Jornais de Bairro da capital paulista, Aécio falou sobre sua experiência como governador de Minas Gerais durante dois mandatos.“Gestão com eficiência e a descentralização garantiram grandes conquistas ao Estado, como obter a melhor educação fundamental do país, segundo o Ministério da Educação “, afirmou Aécio.
Aécio Neves falou sobre suas propostas para o Brasil na área de educação, saúde e Segurança Pública.
“Eu assumo a responsabilidade de elaborar uma política de segurança para o país. Vamos impedir a entrada de drogas pelas fronteiras e ainda tratar os jovens que se tornaram dependentes”, enfatizou. Aécio também falou sobre a polêmica questão da maioridade penal. “Defendo o projeto do senador Aloysio Nunes, meu candidato a vice, que prevê que maiores de 16 anos, com autorização do Ministério Público, possam ser processados pelo Código Penal em casos de crimes hediondos”, lembrou que hoje os menores são aliciados pelos criminosos e que hoje o menor é quem assume o crime mais pesado porque não cumpre pena e completou: “Vamos também proteger o jovem para afastá-lo do crime. Tenho um projeto que dobra a pena de adultos que utilizarem menores de idade para praticar crimes”, disse. 

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Candidato ao Senado José Serra participa de encontro com Jornais de Bairro da capital

Riselda Morais
José Serra durante coletita

José Serra, Riselda Morais e Andrea Matarazzo

        Na terça-feira, 09 de setembro, o candidato ao Senado José Serra, juntamente com o suplente José Aníbal e os vereadores Andrea Matarazzo e Adolfo Quintas, participou de um encontro com a imprensa regional da capital paulista. Participaram da coletiva mais de 50 jornais e revistas dos bairros da capital.
Entre os temas abordados estão o combate ao narcotráfico e a necessidade de reestruturação do sistema tributário
O Senado é responsável por cuidar das finanças dos Estados, taxas de impostos interestaduais, repartição de impostos e guerra fiscal. “ Cuidar das finanças é como andar de bicicleta, se você parar, cai“, observou Serra.
Segundo José Serra atualmente, 42% da arrecadação do Governo Federal é feita em São Paulo e apenas 10% voltam para o Estado. “Isso tem que mudar,” afirmou.
Entre as propostas de José Serra está acabar com a burocracia para aprovar os novos genéricos, reduzindo o tempo de 30 meses para 6 meses. 
“Quando eu estava no Ministério da Saúde, a gente levava cinco meses para aprovar. Hoje, leva até dois anos e meio! É muito tempo. Vou propor uma lei para que o limite máximo para avaliação seja de seis meses”, declarou Serra.
José Serra pretende também, se eleito for, realizar campanhas educacionais para alertar sobre o perigo dos entorpecentes, em especial o crack.
Outra proposta é instituir o voto distrital na capital paulista.
“Um vereador busca se eleger entre 8 milhões de pessoas. Com o distrital, a cidade se divide em 55 distritos com 150 mil eleitores cada, que escolhem um vereador. O custo da campanha cai de cinco a dez vezes”, afirmou Serra.