Traduzir

Pesquisar

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Jornalista e editora Riselda Morais participa de debate na Super Rádio Tupi AM 1150/ FM 97,3



Cantor Frank Aguiar, produtora Suzana Abreu, Dep. Fed. Teresa Surita, jornalista Riselda Morais e o jornalista José Nello Marques
Foi muito bom estar na quarta-feira, 19/10 das 18hs às 19 h, na Super rádio Tupi, no programa Tupi Serviços com o jornalista José Nello Marques, debatendo os principais temas do momento com políticos, empresários, sindicatos, profissionais liberais e gente do povo analisando e dando opinião. Participando do debate em estúdio, com o cantor e Vice-prefeito de São Bernardo do Campo, Frank Aguiar, a Deputada Federal Teresa Surita - PMDB/Roraima.
Esteve em pauta, temas como o projeto lei que visa proibir a famosa palmada que os pais dão nas crianças que acabam em violência doméstica com gravidade suficiente para levar crianças queimadas, com fraturas e ossos quebrados, cortadas ou com hematomas, aos hospitais de todo o Brasil, sendo que muitas dessas lesões levam as crianças ao óbito ou as deixa marcada física e psicologicamente por toda a vida. "Os pais precisam entender que bater não educa e ao bater em seus filhos estão criando adolescentes revoltados e adultos agressivos e que bater não é a solução, mas o problema".
Para a Deputada Teresa Surita, o mais preocupante é que as chamadas palmadas fazem parte da cultura do brasileiro, e nunca pára apenas nas palmadas, mas em espancamentos e muitos casos até em morte da criança.
Outro tema debatido foi o projeto lei do deputado estadual/SP Jooji Hato, em tramitação na Assembléia Legislativa que pretende criar o toque de recolher para menores de 18 anos em todo o Estado de São Paulo. Segundo o projeto os menores não poderiam frequentar bares, restaurantes, boates, danceterias, enfim "transitar ou permanecer" na rua, sem a companhia de seus pais ou responsáveis entre as 23h30 e às 5 horas. Jooji que chama o projeto de "toque de acolher" e justifica: "Nosso grande objetivo é que as crianças perambulando sozinhas pela rua sejam levadas para o conselho tutelar e encaminhadas de volta à família, queremos pressionar os pais que põem filho no mundo e não cuidam", diz Jooji por telefone.
Outros temas em pauta foram: a falta de coleta de esgoto, que segundo dados do IBGE a região que mais faz a coleta é a sudeste com pouco mais de 60% dos domicílios e a que menos tem domicílios com a coleta é a Norte com apenas 3%; foram debatidos também os alagamentos e desabamentos que acontecem a cada temporal nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.
No é hora da cidadania que vai ao ar das 17h às 19h, José Nello Marques ajuda o munícipe a resolver seus problemas com falta d'água, telefone, luz, buracos na rua, enfim, abre espaço para o ouvinte fazer sua reclamação e ser ouvido. 

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Congresso brasileiro é o que mais pesa no bolso do cidadão


O Congresso brasileiro é o que mais pesa no bolso da população, segundo comparação feita, pela Ong Transparência Brasil, entre o orçamento do Congresso Nacional brasileiro com os da Argentina, Alemanha, Chile, Canadá, Estados Unidos, Espanha, França, Grã-Bretanha, Itália, México e Portugal.
Segundo o estudo, o congresso brasileiro, que compreende a Câmara dos Deputados e o Senado Federal custa o montante de R$ 11.545,04 por minuto trabalhado e cada um dos 513 deputados federais custam a população 6,6 milhões ao ano, já no Senado, o mandato de cada um dos senadores custa cinco vezes mais, R$ 33,1 milhões por ano.
Segundo o estudo, entre todos os países comparados, a Câmara brasileira é a que mais onera o cidadão. 
Em confronto com outros países, antes do aumento de cerca de 28% que os parlamentares brasileiros se autoconferiram, cada integrante da Câmara dos Deputados  gastava em média R$ 101 mil por mês, entre salário, auxílios diversos, salários de “assessores de gabinete” (que podem chegar ao número de 18 por deputado) e verba indenizatória (um estipêndio fixo que o parlamentar pode usar para pagar gasolina, aluguel de comitê em seu estado e outras despesas). Ainda segundo o estudo, para comparação, o custo direto de cada membro da Câmara dos Comuns britânica (incluindo, como na Câmara brasileira, salário, auxílios diversos e estipêndios pagos a assessores de gabinete) é de 168 mil libras por ano.  Ao câmbio de 3,78 reais por libra, isso corresponde a pouco mais de R$ 600 mil por ano. Ou seja, cada deputado federal brasileiro consome mais do que o dobro de um parlamentar britânico – o qual vive num país em que a renda per capita e o custo de vida são muito superiores aos do Brasil.
Como, no Brasil, os salários pagos a deputados estaduais são calculados à base de 75% dos salários dos deputados federais, como os salários de vereadores de localidades populosas por sua vez obedecem à mesma proporção em relação aos deputados estaduais, e como tanto no nível estadual quanto no municipal os integrantes do Legislativo gozam de privilégios financeiros semelhantes aos da Câmara dos Deputados , pode-se concluir que um vereador de capital estadual custa mais do que um integrante da Casa dos Comuns britânica.
O estudo aponta que os números do Congresso Nacional superam os de quase todos os Parlamentos constantes nos países comparados, como de 27 parlamentos estaduais brasileiros (contando o do Distrito Federal), nada menos de 15 apresentam um custo por mandato superior ao da Itália, que com quase R$ 4 milhões é o terceiro país mais caro sob esse prisma, abaixo apenas do próprio Brasil e dos EUA. Sete estados têm orçamentos por deputado superiores a R$ 3 milhões por ano, o que os coloca acima da França. No estado brasileiro mais barato, Tocantins, o custo por deputado, de pouco mais de R$ 2 milhões, é maior do que os dos Parlamentos de Espanha e Portugal, os quais contam com menos de metade disso.
O mandato de um único vereador do Rio de Janeiro ou de São Paulo sai por mais de R$ 5 milhões por ano, diz o estudo. Em 16 Câmaras Municipais de capitais o custo por mandato fica entre R$ 1 milhão e R$ 2,2 milhões – faixa em que se situam a Grã-Bretanha, o México, o Chile e a Argentina. 
O mandato municipal de capital mais barato do Brasil é identificado em Rio Branco (Acre), onde custa por volta de R$ 715 mil reais. Ainda assim, para pagar pelo funcionamento da Câmara Municipal, cada um dos 314 mil habitantes da cidade contribui anualmente com R$ 31,88, quase o quinhão que cabe a cada francês – que tem uma renda per capita mais de três vezes superior à brasileira – para manter o seu Parlamento.
O elevado custo por mandato no Legislativo brasileiro não se limita ao Congresso Nacional. O estudo que aponta os custos por parlamentar dos doze países juntamente com os das Assembléias Legislativas e Câmaras de Vereadores de capitais, revela que cada membro do Congresso brasileiro custa em média o equivalente a 2068 salários mínimos anuais, mais do que o dobro do México, segundo colocado, cerca de 37 vezes superior ao da Espanha e 34 vezes maior do que o do Reino Unido, revela também que o Senado brasileiro tem o custo anual de cada mandato corresponde a 6699 salários mínimos. Ainda segundo dados do estudo, os parlamentares brasileiros representam mais pessoas.  A média Europa-Canadá é de 82 mil pessoas por parlamentar. A do Brasil é de cerca de 314 mil.

Radares fixos passarão a multar motocicletas


Os radares fixos que multavam apenas automóveis e caminhões passarão a multar também as motocicletas. Até o fim de novembro estarão em operação 19 equipamentos, sendo que os primeiros modelos começarão a funcionar neste mês de outubro. 
A CET - Companhia de Engenharia de Trânsito instalará os radares para diminuir os acidentes que envolvem motociclistas e para aumentar a fiscalização. 
Os novos radares têm tecnologia capaz de flagrar motocicletas, mesmo aquelas que trafegam em alta velocidade, acima do limite permitido nos corredores, entre as faixas de rolamento. 
A capital paulista teve 40 radares móveis nos últimos 10 anos que aplicaram 3% das 126 mil multas registradas pela fiscalização eletrônica neste período. 
Segundo a CET, estes aparelhos não foram inutilizados, mas sim, colocados em pontos fixos. Hoje são 576 radares deste tipo.  
A função de outros 6 radares portáteis, em formato de pistola, será alterada, deixarão de serem usados para autuações e servirão para identificar locais da cidade que precisam receber reforço na fiscalização.

Campanha de Proteção ao Pedestre recebe apoio da Câmara Municipal


Na terça-feira (11/10) o Programa de Proteção ao Pedestre ganhou um importante reforço com o apoio da Câmara Municipal de São Paulo, que adesivou seu espaço com o objetivo de conscientizar os visitantes sobre a travesia segura. O Palácio Anchieta teve seus elevadores envelopados com adesivos que trazem mensagens sobre a campanha e o acesso ao piso térreo ganhou faixas de pedestres idênticas às existentes nas ruas.  A parceria foi selada com um encontro entre o secretário municipal de Transportes, Marcelo Branco e o presidente da Câmara, José Police Neto. O vereador defendeu a ação e a importância de uma conscientização em massa. “Trazer a faixa para o cotidiano da vida das pessoas e fazer com que o pedestre se sinta cidadão e que o cidadão seja de fato um pedestre. Seja no respeito à faixa quando ele estiver motorizado ou na utilização da faixa quando ele é pedestre. É preciso trazer para o consciente popular algo que protege a vida”, disse.
Marcelo Branco ressaltou o sucesso da campanha, que já é responsável pela diminuição de mais de 70% no número de mortes por atropelamentos nas regiões do centro até a avenida Paulista.

Avenida Jacú Pêssego lidera atropelamentos em São Paulo no primeiro semestre


Avenida Jacú Pêssego

    O cidade de São Paulo registrou no primeiro semestre de 2011, um total de 325 mortes por atropelamentos, segundo dados levantados pela  Companhia de Engenharia de Trânsito, a partir de informações fornecidas pelo Instituto Médico Legal e de boletins de ocorrência.
Entre os locais onde ocorrem mais atropelamentos, a Avenida Jacú Pêssego lidera, é apontada como o local onde mais pessoas são mortas por atropelamentos, seguida das principais vias que cortam a periferia de São Paulo, como as marginais Tietê e Pinheiros, que são as vias que completam o ranking de atropelamentos na capital paulista.
Ampliada recentemente, no trecho da Avenida Ragueb Chohfi em Itaquera, até o Trecho Sul do Rodoanel, a avenida facilitou o acesso dos motoristas e aumentou o fluxo de veículos, principalmente caminhões, que circulam em alta velocidade e muitas vezes de forma abusiva colocam a vida de outros motoristas em risco, além de agirem de forma perigosa para quem mora nas proximidades e precisa atravessar a via; talvez este fator tenha levado a Jacú Pêssego a ocupar o primeiro lugar no ranking de atropelamentos de pedestres, posição que no ano passado pertencia a Marginal Tietê, por  somar 21 mortes durante os 12 meses.
Também na Zona Leste, as avenidas Sapopemba e Ragueb Chohfi  estão entre as mais perigosas, com quatro mortes cada uma, mesma quantidade de mortes da Avenida São João, na região central.
Ainda segundo o levantamento da CET, somaram 17 mortes as avenidas da zona sul, que funcionam como grandes corredores, continuam na listas das mais perigosas a Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, Professor Francisco Morato e as Estradas de Itapecerica e do M’Boi Mirim.
Segundo informações da CET, as dez vias apontadas como mais perigosas para os pedestres são monitoradas diariamente por agentes de trânsito em viaturas operacionais.

Responsáveis por acidentes com carros de luxo permanecem em liberdade


Nos últimos meses, a população da capital paulista presenciou uma série de acidentes de trânsito provocados por proprietários de automóveis de luxo e na maioria deles os motoristas estavam alcoolizados e em alta velocidade. O que chama a atenção da população para estes acidentes é que apesar da imprudência, do uso de álcool e do excesso de velocidade que resultaram em mortes de terceiros eles permanecem em liberdade.
No caso do empresário Michel S. Neto, que provocou dois acidentes com seu Porsche ao dirigir depois de sair de uma festa, ele apenas assinou um Termo Circunstanciado por fuga do local do acidente, lesão corporal culposa e omissão de socorro, além de embriaguez ao volante. Tantas infrações e ainda é primário.
Outro caso que chamou a atenção da população é o do filho do vereador de Embu das Artes, interior de SP, que provocou várias batidas com seu Camaro, uma delas com vítima fatal, foi responsável pela morte de Edson Domingues que teve 90% do corpo queimado. Este motorista chegou a ser preso e solto mediante fiança no valor de R$ 245 mil reais.  Outro caso de acidente com morte também envolveu um Porsche, este de Marcelo Malvio de Lima que dirigia em alta velocidade e provocou a morte da advogada Carolina Menezes. O acidente aconteceu no Itaim Bibi, Zona Sul de São Paulo, segundo a perícia quando o Porsche se chocou com a Hyundai Tucson da advogada de apenas 28 anos, tirando sua vida na mesma hora,  na rua Tabapuã, estava a 150 km/h, os dois carros foram parar em cima um do outro, em um poste. Único provocado por uma mulher, com uma Land Rover, desta vez da nutricionista Gabriella Guerreiro Pereira que invadiu a calçada e tirou a vida de Vitor Gurman, um administrador. Em todos estes casos os responsáveis pelos acidentes permanecem em liberdade e respondem por homicidio culposo, quado não há intenção de matar.

Estações do metrô oferecem atividades culturais, educativas e posto de recolhimento de lixo eletrônico


O Projeto Encontros, que acontece entre os dias 17 e 28 de outubro na estação Paraíso do Metrô oferece aos usuários peças de teatro (“Entre Pedestres e Lobos” (dias 17 e 24), “Cruzamento de Destinos” (dias 18 e 25) e “A árvore do Trânsito” (dias 20 e 27)), shows musicais, exposição fotográfica  (CET 35 anos), cinema e workshops. O Projeto que é fruto de uma parceria entre o Metrô e a CET - Companhia de Engenharia de Tráfego, tem como foco disseminar o Programa de Proteção ao Pedestre entre os usuários e promover a educação no trânsito de forma divertida.
Já a estação Tucuruvi da Linha 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi) participa da campanha "Mês do Consumo Sustentável", mantendo um posto de recolhimento de lixo eletrônico, na área livre (não paga) do mesanino, onde os munícipes poderão entregar televisores, monitores, computadores, acessórios, notebooks, videocassetes, aparelhos de som, câmeras fotográficas, filmadoras, telefones, celulares, eletrodomésticos de pequeno porte, cabos, fitas, CDs e DVDs, entre outros, diariamente, entre 6h e 18h, até o dia 26. A iniciativa do Ministério do Meio Ambiente conta com parceiros e pretende conscientizar a população sobre consumo e descarte responsável de equipamentos eletrônicos.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Policia Militar recaptura três procurados na Vila Matilde

    Em dois dias seguidos, policiais militares que atuam no bairro da Vila Matilde recapturam três homens procurados pela justiça e que estavam foragidos.
     O primeiro caso foi no último dia 23. Durante o policiamento, suspeitaram das atitudes de dois homens que seguiam em uma motocicleta. Na abordagem constataram que um deles possuía antecedentes criminais e era procurado pela justiça por ter cometido crime de roubo.
    No dia seguinte, 24, outros dois homens foram recapturados. Um deles foi abordado porque estava na via publica em atitude suspeita. Depois de consultar seus antecedentes, verificaram que era foragido da justiça. No outro caso do mesmo dia, policiais militares foram averiguar ocorrência de disparo de arma de fogo próximo a Avenida Aricanduva, onde abordaram um casal suspeito, com quem foi encontrada uma arma de fogo. Em consulta aos seus antecedentes, souberam que o homem havia sido condenado pela justiça por crime de roubo e estava foragido. Os três casos foram registrados na Delegacia de Policia da área como Recaptura de Procurado. O Comandante do Policiamento Ostensivo no bairro da Vila Matilde, Cap PM Marcos José, vem desenvolvendo diversas ações de policia visando inibir a criminalidade e reduzir os indicadores na região. Uma delas é a intensificação de abordagens a pessoas em atitudes suspeitas. A Polícia Militar revela que a cada 1.000 revistas pessoais realizadas, acaba prendendo 10 criminosos, recuperando 6 veículos, apreendendo 2 armas de fogo e  4 Kg de drogas.
Informações do 8º BPM e 21ª DP.

Mulher presa por tráfico de entorpecentes em Vila Matilde

Uma mulher foi presa, dia 17 de setembro, na Av. dos Minuanos em Vila Matilde, quando ao ser abordada por policiais em atitude suspeita, foi flagrada portando 90 pinos de crack. A ocorrência foi registrada na 21ª DP como tráfico de entorpecentes. Ela responderá pelo crime de tráfico, cuja pena varia de 5 a 15 anos de reclusão.
A Policia Militar orienta a população a denunciar este e outros tipos de crimes pelo telefone 190, disque denúncia 181 ou pelo “Fale Conosco” no site da PM, não sendo necessária a identificação.

Policiais prendem dois ladrões que tentaram roubar casa lotérica em Vila Formosa

Um homem e um adolescente foram presos na quarta-feira, (21/09) enquanto roubavam um casa lotérica na Vila Formosa, Zona leste da capital paulista. Segundo testemunhas os meliantes entraram na lotérica usando arma de fogo, fazendo ameaças, dominaram os clientes e funcionários e baixaram as portas do comércio.
Quando os policiais do 8º BPM chegaram a dupla já haviam recolhido a R$ 8.886,00 em espécie e 4 telefones celulares. Com a chegada da polícia um dos infratores tomou uma funcionária como refém. Segundo a PM, os ladrões se renderam após breve negociação e ninguém ficou ferido. A ocorrência foi registrada no 31º DP onde foi registrada a ocorrência de Roubo, Corrupção de Menor e Ato Infracional.

Lei proíbe cobrança em banheiros públicos de rodoviárias

Entrou em vigor a lei 14.547 sancionada pelo Governador Geraldo Alckmin e publicada no Diário Oficial, dia 14 de setembro, que proibe as concessionárias ou permissionárias da administração de banheiros públicos de rodoviáriasde cobrarem pelo serviço e os obriga a manter suas instalações em boas condições de higiene e conservação e facilitar o acesso a esses locais pelas pessoas com deficiência e idosos com mobilidade reduzida. Os operadores dos terminais ficam sujeitos a uma multa diária de 300 Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo), equivalentes a R$ 5.235.