Traduzir

Pesquisar

sexta-feira, 17 de junho de 2011

As Redes Sociais e os novos comportamentos Sociais e Corporativos


Por: Riselda Morais

      As redes sociais como o Twitter, Orkut e Facebook,  estão gerando novos comportamentos sociais e corporativos. Com elas o poder de disseminação de informações em textos, imagens e vídeos é imensurável, rápido com consequencias favoráveis ou não, por isto é importante que o internauta tenha responsabilidade sobre o que posta e saiba filtrar as informações que deseja absorver.
As novas Tecnologias de Comunicação e Informação estão redesenhando as relações sociais e empresariais, o Ciberespaço originou a Cibercultura. Com a cibercultura surgiram novas formas de consumo e abriu-se um leque de oportunidades e espaços onde o ciberconsumidor tem a liberdade de inserir, divulgar materiais, comprar e vender produtos ou serviços. 
Os novos comportamentos sociais surgiram com as oportunidades oferecidas pela Rede Mundial de Computadores para que a sociedade possa se expressar livremente e obrigou as corporações a novas ações, a agirem com mais responsabilidade e respeito para com o consumidor. Entre os novos comportamentos das corporações estão planos de comunicação adaptados para as redes sociais, através da comunicação virtual elas conquistam novos clientes, buscam fidelizar e satisfazer os que possuem, divulgam e preservam o produto e a marca. 
Vivemos a Era da Informação, uma época em que as pessoas têm livre acesso a informação, a cultura e as novas tecnologias; onde o internauta é estimulado a disseminar informações e conhecimentos através de arquivos de textos, imagens, vídeos, músicas, jogos e muitos outros aplicativos, no entanto, cabe a este mesmo internauta ter responsabilidade e critérios antes de disseminar ou absorver estas informações, uma vez que ainda não temos um controle sobre o conteúdo que é publicado. As redes sociais se tornaram um importante meio de comunicação,  reconhecido no meio social e corporativo e a cibertecnologia influencia diretamente na cultura da sociedade, onde a cibercultura transforma características importantes das camadas sociais e o ciberespaço ocupa o lugar das relações interpessoais diretas ou face a face. Vivemos a época em que as tecnologias de comunicação e a utilização da publicidade e do webmarketing são ferramentas estratégicas para intensificar as relações representadas por meio da comunicação e entretenimento e que o marketing indica graus de identificação, necessidades, satisfações, desejos e estímulos de consumo, levando a população a participar, a ser perguntada sobre o que quer e lhe satisfaz antes de ter um produto desenvolvido com o objetivo de lhe conquistar como cliente; a ter papel importante no mundo corporativo onde cada dia mais são utilizadas ferramentas estratégicas para conquistar o consumidor e receber sua aprovação em qualidade e eficácia. Onde o marketing estuda a complexa relação entre os projetos de produtos, preços, a comunicação, disponibilidade de mercado e a satisfação dos consumidores no pós compra reconhecendo sua relevância. A Era em que fabricantes, produtores e consumidores se encontram na cibercultura, na mesma condição de pertencimento através de suas ciberrepresentações nas plataformas de redes sociais da World Wide Web. 
Os novos comportamentos refletem-se também nas próprias redes sociais,  até pouco tempo, o orkut era o top para os Internautas, o modelo parecia perfeito e ter vindo para ficar, tão logo surgiram os novos orkut com o que deveria ser inovação,  deviou-se do foco, do objetivo principal da rede e logo os orkuteiros deixaram de se comunicar, passaram a jogar e descurtiram a novidade que  diminuiu seu crescimento, apesar de ter hoje no Brasil  32 milhões de usuários cadastrados contra 18 milhões do Facebook. O Orkut continua o preferido apenas no Brasil, onde 78% dos internautas navegam, o crescimento em 2010 foi de 28% e apesar do Facebook ter tido o impressionante crescimento de 258% aqui no Brasil, no mesmo período, é acessado por apenas três em cada dez internautas.
Segundo a comScore, responsável pelo levantamento dos dados, 90%  do consumo do Orkut ocorre no Brasil, o que o coloca como um fracasso no resto do mundo, com 52,8 milhões de usuários (4%) enquanto o mais acessado mundialmente é o Facebook com um total de 662,4 milhões de usuários, conquistou uma generosa fatia de 50% do total de internautas do mundo. No entanto, o Facebook perdeu cerca de 6 milhões de audiência nos Estados Unidos, País de origem, entre os meses de maio e junho, caindo de 155,2 milhões para 149,4 milhões de usuários. Seguido pelo Canadá com uma perda de 1,52 milhões de clientes, da  Noruega, Rússia e Reino Unido com 100 mil usuários em cada país. O Twitter atingiu a marca de 301 milhões de perfis no mundo, mas segundo o levantamento, apenas 21 milhões de perfis são de usuários que usam ativamente a rede social. No Brasil o Face é um feed, fonte de disseminação de informações repleta de formadores de opiniões.

Brasil mantém juros mais altos do mundo


A taxa real é a diferença entre a Selic e a inflação analisada no mesmo período.
O Brasil ocupa o primeiríssimo lugar no ranking de juros mais altos do mundo. Entre as 40 principais economias mundial, 29 países têm juro real negativo e um pratica taxa zero. Dez dessas economias praticam juro positivo e o Brasil é o líder com uma taxa real de 6,8% ao ano. O Copom (Comitê de Política Monetária) elevou  a taxa básica de juros do país em 0,25%, com a 4ª alta a Selic subiu para 12,25% ao ano e mantém o Brasil na liderança do ranking dos países com maiores juros reais. É o quarto aumento neste ano.
O segundo lugar é do Chile, que tem juro real de 1,5% anual. Em seguida vêm Austrália (1,4% ao ano), África do Sul (1,2%), Hungria (1,2%), México (1,1%), China (1%), Colômbia (1%), Indonésia (0,7%) e Taiwan (0,1%).

Gatos: Carinhosos, silenciosos, brincalhões e auto-suficientes

Por: Riselda Morais

O persa Mimi



Ter um animal de estimação significa ter responsabilidade, seguir regras, treiná-lo e mantê-lo bem cuidado respeitando sua personalidade e dignidade. Os gatos são animais carinhosos, silenciosos, relativamente auto-suficientes  e muito limpos. Sua língua é especialmente adaptada para a limpeza e têm o hábito de se lamber. Os hábitos diários dos gatos são basicamente a higiene, alimentação, cuidados com o pelo, sesta, ficar horas deitados em seu lugar favorito da casa e diversão que eles encontram até na própria sombra, adoram brincar e receber carícias dos donos.
Uma curiosidade sobre esse dócil animalzinho é que ele tem mais ossos que os humanos. O homem tem um total de 206 ossos, enquanto o gato tem 230 ossos, muitos deles localizados na cauda.
A cauda do gato nos revela como está seu humor. Mostra orgulho e contentamento quando levantada. Quando o gato está espreitando um ataque mantêm a cauda estendida e ereta e se ele estiver aflito ou espantado enrola a cauda. Se o gato agitar a cauda de um lado para o outro demonstra que ele está nervoso ou bravo.
A expectativa de vida dos gatos varia entre 15 e 20 anos e pesam entre 2.5 e 7 kg, mas existem registros de casos de gatos que excedem 11 kg e de um que alcançou 23 kg devido a superalimentação, há também registro de um exemplar que viveu 36 anos. Vivem mais os gatos que são mantidos dentro de casa e os que são castrados. A castração reduz o risco de câncer de ovários e de testículos.
A alimentação dos gatos devem ser completas e balanceadas para atender as necessidades de nutrição. Quando filhote a ração deve ser introduzida aos poucos na alimentação para que acostumem a mudança na textura e no paladar. O prato de comida deve ser lavado após cada  refeição, mas claro, lave-o separado da louça utilizada pela família. A água deve estar sempre a disposição e sempre fresca. Já a quantidade de alimento varia de acordo com a raça, tamanho e características do animal. Deve-se evitar que os gatos comam em excesso, assim como os humanos, eles também ficam obesos se a quantidade de alimento não for equilibrada. A alimentação só deve ser aumentada quando a gata estiver gestante ou com filhotes, mas falaremos sobre estes cuidados na próxima matéria.
Os gatos também devem ser vacinados. Uma das vacinas é para evitar a “Gripe dos Gatos” ou Enterite Infecciosa dos Felinos (F.I.E.), uma doença muitas vezes fatal que pode ser confundida com uma virose associada a corrimento do nariz e dos olhos. A vacina geralmente é dada a critério do veterinário, mas pode ser aplicada a primeira dose na 8ª semana e a segunda na 12ª semana de vida.
Como falamos acima, os gatos são animais muito limpos, mas se for necessário banhá-los, use água morna, shampoo e sabonete  neutro, em seguida seque cuidadosamente o pêlo com uma toalha e um secador. Gatos de pelo longo devem ser penteados com escova e pente.
Para manter a higiene do ambiente e do gato é importante dar ao gato um local (banheiro ou área externa) para que ele faça suas necessidades, o local deve ser inspecionado e as fezes removidas diariamente.

As ruas podem ficar ainda mais perigosas


Por: Riselda Morais

Tornozeleira eletrônica para presos
Está muito perigoso andar pelas ruas de São Paulo, independente do horário. Há alguns anos atrás, tínhamos medo apenas de andar altas horas da noite, sair para a balada ou simplesmente nos expor em lugares considerados perigosos. Nos dias atuais, é perigoso sair nas ruas a qualquer hora do dia. Eu estava vindo da faculdade, onde curso Pós graduação em Comunicação e Mercado, passando pela Rua Joaquim Marra no bairro de Vila Matilde, por volta das 11 hs da noite, percebi uma agitação no ponto do ônibus, bem em frente ao largo do peixe,  um olhar mais atento, revelou um assalto a todas as pessoas que aguardavam o ônibus e quem as estava assaltando eram dois rapazes bem jovens, em uma moto.
Poucos dias antes estava indo para a faculdade, transitando pela rua Boa Esperança no Bairro do Tatuapé, onde era minha a preferencial, em um cruzamento, um relâmpago em forma de carro corsa atravessou o meu caminho e colidimos. Tamanha foi minha surpresa quando, depois de recuperada do choque e da pancada no peito, ao sair do carro ainda meio confusa com a dor e o susto, me deparei com o motorista do corsa tirando duas crianças do carro, elas estavam no banco traseiro, sem cinto de segurança e uma das crianças, de aproximadamente 4 anos de idade, dormia. Meu sentimento de raiva não foi ver meu carro destruido por um ato imprudente de um terceiro no trânsito, mas sim, ver alguém colocar em risco de forma tão irresponsável a vida de duas crianças. Tudo que consegui falar ao sair do carro foi: “Você está louco, como pode entrar desse jeito com crianças no carro?”. Minha indignação era tamanha que é impossível descrever. E sabe o pior, ele não tinha seguro e tive que acionar o meu (para meu veículo, é claro). Paciência... faz parte do trânsito de São Paulo e precisamos encarar com naturalidade, não é mesmo? Decidi então que havia chegado a hora de mudar o intinerário para ir e voltar da Faculdade. A surpresa maior veio dias depois quando percebi ao acompanhar o sinistro via Internet que o indivíduo havia enviado para o meu seguro (não sei se por engano ou na tentativa de obter cobertura), não o B.O. que havíamos feito logo após a colisão no Tatuapé, e sim, um lavrado em 30 de março em São Bernardo do Campo, com um veículo Voyage, acidente com o qual nada tive a ver e uma foto de uma travessa que ficava a um quarteirão do local do acidente.     Aceitei que é preciso ficar algumas semanas sem carro, já que o estrago foi grande, quase que me lamentando disse-me: Ok, esta situação vai passar!. Procurei não me   estressar com as irregularidades que surgiram com o comportamento do indivíduo, resolva-se com a justiça, é para isto que pago seguro, para que alguém tome as providencias por mim em caso de acidentes, colisão. A vida continua. Nesta sexta-feira, 10 de junho, estava atravessando a Avenida Aricanduva, acesso a Av. Itaquera, por volta das 17 horas e percebi uma garota loura com mais ou menos 17 anos de idade, com hábitos de adolescente, caminhava tranquilamente pela calçada. O semáforo estava fechado, enquanto aguardava que ele abrisse e o fluxo de veículos fluísse tive que assistir a mais uma cena de violência explícita. Mais uma vez, dois rapazes de moto (idades entre 15 e 20 anos), sobem na calçada, um fica na moto aguardando, o outro desce, vai até a adolescente que está entre um grupo de pessoas aguardando para atravessar na faixa de pedestre, aponta um revólver e rouba-lhe o celular, não levou a bolsa de ninguém, só o celular da garota sob ameaças, depois dirigiu-se tranquilamente para a moto, colocou a mão sobre a placa e com a certeza da impunidade, arrancaram com a irresponsabilidade de dois ladrões, enquanto a jovem ficou desnorteada com o susto de ter sofrido um assalto a mão armada.  
Neste momento, você, meu leitor ou minha leitora, deve estar se perguntando: - Por que ela está nos informando isto se todos nós presenciamos estas cenas de violência diariamente?. A justificativa é bem simples, a violência não deve ser encarada com naturalidade, ser banalizada e,  a violência pode ficar ainda pior, porque uma nova lei pode liberar mais de 80 mil presos no País. - Já imaginou nossas ruas com mais 80 mil criminosos soltos? Uma multidão de criminosos de mais de 80 mil pessoas que poderão voltar a matar, estuprar, assaltar, roubar...afinal, nos dias de indulto como Natal, Páscoa, muitos já aproveitam para cometer novos crimes e outros para fugir. Repetindo os mesmos crimes pelos quais foram presos, só que desta vez com mais experiência e talvez até com mais crueldade.
Isto pode acontecer em menos de um mês. A partir de 5 de julho, quando entrará em vigor novas medidas no Código de Processo Penal (CPP), cujo objetivo é desafogar os superlotados presídios do País, mas pode vir a provocar ainda mais impunidade e sentimento de indignação na população, que gostaria de ver os presos trabalhando nos presídios para se custearem e não serem sustentados pela população (que é obrigada a se aprisionar em seus lares) e ainda ter que conviver com eles antes de cumprirem suas penas, antes de pagarem pelos seus crimes.
Segundo dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), até fevereiro deste ano, 165 mil pessoas acupavam provisoriamente, as cadeias de nosso País. A vigência do novo Código de Processo Penal vale para todos os que já estão detidos. Com esta interpretação da lei, é possível que criminosos perigosos e inafiançáveis consigam ser libertados. 
 A pergunta é: - Quem dá mais medo, a interpretação do novo código ou essa lei falha, cheia de brechas que temos?
Imagine que 50% dos 165 mil presos se beneficiem com esse novo código. Para o cidadão, a pessoa de bem, que precisa trabalhar, estudar, se atualizar para conquistar uma vaga no mercado de trabalho, que leva anos para comprar o carro que sempre desejou e antes de terminar de pagar o financiamento tem seu veículo roubado e desmanchado em minutos, para esta pessoa e todo o cidadão honesto, essas mudanças favorecem a impunidade e o crime, jamais servirão para desafogar cadeias, tampouco para diminuir o custo do sistema prisional. Na capital paulista, assim como em todo o Brasil, a criminalidade, a violência aumenta vertiginosamente e o novo Código abre deliberadamente as possibilidades de criminosos perigosos ficarem soltos, uma vez que a prisão preventiva ficará para o último caso.
A prisão preventiva pode hoje ser concedida para crimes de reclusão em geral. Pela nova interpretação do novo código, a decretação é restrita para crimes dolosos punidos com pena privativa de liberdade máxima superior a quatro anos e só poderá ser determinada se não for possível substitui-la por nenhuma outra medida alternativa. Além disso, o juiz ou tribunal que determinou a prisão deverá reexaminar o caso, obrigatoriamente, a cada 60 dias. Se o preso não apresentar os requisitos da prisão preventiva, o juiz deverá conceder a liberdade provisória, mediante fiança, ou determinar as medidas alternativas. Nossa... nem acredito que deputados, eleitos pelo povo, criam e aprovam um negócio desses. 
Os Estados em que os governos investirem na fiscalização do cumprimento das restrições cautelares, que fizerem a manutenção de criminosos em prisão domiciliar através de monitoramento eletrônico e a proibição de que eles circulem em determinadas áreas poderão até manter o controle, mas os que não o fizerem, preparem-se seus moradores, seus munícipes para estarem cada dia mais presos em suas casas e em seus medos, enquanto os criminosos estarão cada dia mais livres, rindo de nossa cara enquanto nos atacam.

Justiça brasileira é desigual, desonesta, cara e lenta segundo pesquisa da USP


Os dados de uma pesquisa realizada pela USP, para avaliar o índice de confiança dos profissionais do Judiciário revelou, entre os advogados, a mesma insatisfação que existe entre a população brasileira em relação a nossa Justiça. Para a maioria dos advogados a Justiça brasileira é desigual,  ineficiente, lenta, cara e de difícil acesso, reclamações comuns entre todos os brasileiros agora feita por profissionais do Judiciário.
A pesquisa foi feita em março, com 1.172 advogados de todas as regiões do Brasil para avaliar os Tribunais Federais e Estaduais. 
Quanto a igualdade de tratamento, 86,2% dos advogados entrevistados consideram a Justiça pouco ou nada igual, o que reforça a idéia que a justiça aqui não funciona para todos, seja por condição social,     favorecimento ou filiação política.  
Apenas 2% dos advogados consideram a Justiça rápida ou muito rápida. 
É uma Justiça muito cara para 89,9%  e pouco ou nada honesta para 61,2% dos entrevistados, em relação ao acesso, a maioria dos entrevistados ou 64% declarou que é muito difícil ou difícl chegar até a Justiça.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Conselho da Condição Feminina divulga nota de repúdio contra Rafinha Bastos


O Conselho Estadual da Condição Feminina, órgão colegiado composto de representantes de órgãos públicos e da sociedade civil organizada, divulga Nota Pública, para manifestar seu repúdio à manifestação em forma de ‘piada’ do humorista Rafinha Bastos, especialmente com as expressões “Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra caralho.” ; “Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um crime, e sim uma oportunidade.”; “Homem que fez isso [estupro] não merece cadeia, merece um abraço.”, publicado na Revista Rolling Stones, na edição nº 56, de 06/052011. 
A liberdade de expressão, direito previsto constitucionalmente, encontra limite quando em choque com outro direito, que é o da dignidade da pessoa humana, que está acima de qualquer outro. No caso, estamos a falar da dignidade da mulher, do direito assegurado internacional e nacionalmente de não ter sua imagem estereotipada, bem como ter o direito à escolha de com quem manter relação sexual. 
A forma como a mulher foi tratada na mal-dita ‘piada’ induz e reafirma que o estupro não é crime, mas sim um favor, o que não se coaduna com um Estado de Direito Democrático e que ampara e garante os direitos fundamentais de homens e mulheres. 
A conduta do humorista revela-se machista e preconceituosa, de conteúdo sexista e depreciativo da figura da mulher, encorajando homens, bem como fazendo parecer que o crime de estupro, hediondo por sua natureza, não seja punível. O Conselho Estadual da Condição Feminina de São Paulo está situado na Rua Antônio de Godoi, 122 . 6º. Andar - Santa Efigênia - SP. 

domingo, 5 de junho de 2011

Eu doou sangue por São Paulo

Campanha "Eu  doou sangue por São Paulo" começa hoje, 05/06. 
                                         Participe:
Riselda Morais doando sangue


A doação de Sangue é um ato de solidariedade que está ao alcance de todos. Quem doa sangue doa vida. Eu doou sangue por São Paulo, doe você também. Para doar basta estar em boas condições físicas, bem alimentado, ter entre 18 e 65 anos, pesar mais de 50 quilos e levar RG ou documento com foto. É recomendável evitar alimentos gordurosos 4 hs antes e bebida alcoólica 12 hs antes da doação. A Fundação Pró-sangue está situado na Av. Dr. Enéas de Carvalho nº 155 - 1º andar ou procure o posto de coleta mais próximo de você.
 A campanha é uma iniciativa da ONG ORAM (www.oram.org.br), que presta atendimento psicológico, psiquiátrico e clínico a famílias desestruturadas. O objetivo é chamar a atenção da sociedade para a importância dos cuidados com a saúde mental, bem como a saúde física.