Traduzir

Pesquisar

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Cada ano de estudo equivale a 15% a mais no salário

A pesquisa "Você no mercado de trabalho", apresentada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) apontou que quanto maior o tempo de estudo maior o salário e a as oportunidades.
Segundo a FGV, a cada ano a mais de estudo o jovem tem um ganho de 15% no salário - levando-se em consideração o período do analfabetismo até o final da pós-graduação, que dura 18 anos. "Esse é o principal resultado do estudo: quanto mais instrução, mais você ganha. Educação faz a pessoa subir na vida", afirmou o economista da FGV Marcelo Neri. O estudo apontou que a média salarial de um analfabeto é de R$ 392,14, enquanto a de um pós-graduado é de R$ 3.469,40.
Conforme a pesquisa, a jornada semanal média dos pós-graduados é de 39,13 horas, contra 37,91 horas dos analfabetos. Já os jovens que completaram apenas o ensino médio têm a maior jornada, com 41,35 horas.
O estudo pesquisou também a satisfação das pessoas com o seu trabalho em 128 países.
Os brasileiros ocuparam o 40º lugar no ranking de satisfação, que teve o Kwait como líder, seguido pela Dinamarca.
Quando perguntados se o "trabalho duro faz as pessoas avançarem na vida", os brasileiros caíram para a 100ª posição - em primeiro lugar ficou Gana e em segundo o Sri Lanka.
Para o economista da FGV Marcelo Neri, o brasileiro não acredita que as pessoas melhorem de condição de vida com muito trabalho. "A satisfação com o trabalho atinge o ápice na meia idade e vai caindo de acordo com o envelhecimento", disse.

Poluição: Caminhões

Dos 6 milhões de veículos registrados na cidade de São Paulo, apenas 380 mil (6,4%) são movidos a diesel, mas são eles os que mais emitem gases e partículas nocivas à saúde. Dos 15.738.241 de toneladas de dióxido de carbono ou seu equivalente em outros gases que causam o aquecimento global, 3,5 milhões provêem do óleo diesel, apesar da frota diminuta, enquanto a gasolina responde por 3,8 milhões de toneladas de CO2.
Na origem do problema está um dos piores combustíveis do mundo fornecidos pela Petrobrás (o diesel brasileiro numa cidade como São Paulo ainda tem 500 partes por milhão de enxofre e 2.000 ppm nas áreas rurais, ante 10 ppm na Europa e 15 nos Estados Unidos). Com a gasolina também de qualidade inferior, 97% do monóxido de carbono emitido na capital paulista provem dos veículos. O monóxido não é um gás-estufa, mas é altamente prejudicial à saúde.
Somados, gasolina e diesel representam 46,6% das emissões de gases de efeito estufa em São Paulo, ou 7,33 milhões de toneladas de CO2. Se forem consideradas somente as emissões de uso de energia fóssil, essa parcela sobe para 68,3%.
A poluição em São Paulo é um grave problema de saúde pública, ainda assim, caminhões e ônibus, os principais agentes poluidores do ar da cidade seguem circulando fora dos padrões exigidos pela legislação. A inspeção ambiental veicular, que passou a ser obrigatória este ano na capital paulista, reprovou até agora 32% dos caminhões e 23% dos ônibus movidos a diesel, por emitirem gases e partículas acima do que determina a lei. De acordo com dados do Laboratório de Poluição Atmosférica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, vive-se em média 1,5 ano a menos no município do que em cidades com ar menos poluído.
Desde maio, os veículos a diesel registrados em São Paulo passam, obrigatoriamente, pela inspeção. Já foram analisados 11.958 veículos leves e ônibus, com 77% de aprovação. Os caminhões começaram a ser inspecionados mais recentemente: dos 558 testados, 68% foram aprovados.

Doação de leite materno traz benefícios para o bebê, para a mãe e para o hospital

A Secretaria da Saúde iniciou dia 1º de outubro uma campanha de sensibilização para convocar doadoras de leite de todo o Estado. Mulheres em período de amamentação, com excesso de leite, podem procurar um dos postos localizados na Grande São Paulo ou no interior.
O leite materno doado é pasteurizado, submetido a controles de qualidade e distribuído aos recém-nascidos prematuros ou a bebês que não podem amamentar.
"Contamos com a colaboração e solidariedade das mães que estão amamentando e podem doar. O que para você pode ser apenas leite, para a criança é vida" explica Maria José Guardia Mattar, coordenadora do banco de leite humano do Hospital Maternidade Estadual Leonor Mendes de Barros.
Na capital, o Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros está à procura de novas doadoras para manter o estoque, que está em queda por conta da proximidade do final do ano, quando as mulheres viajam de férias.
As doadoras têm de ser saudáveis e estar em período de amamentação de seus bebês. A coleta é feita diariamente pela equipe do Banco de Leite, em parceria com o Corpo de Bombeiros.
Em visitas às mães, a equipe dá orientações sobre higiene, ordenha, conservação e armazenamento do produto. Todo leite que chega ao banco é pasteurizado e passa por exames de controle de qualidade físico-químico e microbiológico antes de ser fornecido aos bebês.
Vantagens
Para a Mãe: menor sangramento, o peso volta mais rapidamente, pode reduzir câncer de mama, de ovários e osteoporose, maior período de amenorréia e espaçamento entre gestações, aumenta o vínculo mãe e filho, maior praticidade e satisfação.
Para o Bebê: alimento completo tanto nutricional como imunológico, protege de infecções, de processos alérgicos e de doenças crônicas, maior vínculo afetivo e desempenho nos testes de inteligência, previne problemas ortodônticos e fonoarticulatórios, maior período de amamentação com diminuição da morbidade e mortalidade infantil e menor risco de maus tratos e abandono.
Para a Família: melhor qualidade de vida, mais prático, econômico, melhor vinculo familiar, menor gasto com doenças e com a economia maior investimento em outros alimentos e bens de consumo da família.
Para o Hospital: menos internações por doenças infecciosas, menos infecções cruzadas e menor índice de infecção hospitalar, diminui o tempo de permanência hospitalar e com alojamento conjunto há maior aproveitamento de espaço e da equipe para orientações e cuidados, melhor qualidade de assistência e melhor prestígio hospitalar.
Vantagens para Sociedade e Meio Ambiente: melhor qualidade de vida, menos falta ao trabalho materno, menos doenças infantis, menor mortalidade infantil, economias diversas de importações e menor dano ecológico com melhor qualidade do ar atmosférico.
A introdução de Alimentos Artificiais precocemente além de favorecer o desmame precoce, aumenta a morbidade e mortalidade infantil, e a mulher perde os benefícios da amamentação contra doenças crônicas.
Bancos de Leite Humano
1. Centro de Referência de São Paulo/Hospital Maternidade Estadual Leonor Mendes de Barros – Fone: (11)2692-4068
Avenida Celso Garcia, 2477 – 3º andar - Belenzinho – São Paulo
2. Hospital Maternidade Interlagos
Rua Guaiuba, 312 - Interlagos
3. Hospital Ipiranga
Avenida Nazaré, 28 – 7º andar – São Paulo
4. Conjunto Hospitalar do Mandaqui
Rua Voluntários da Pátria, 4301 – São Paulo
5. Hospital Regional Sul
Rua Gen. Roberto Alves de Carvalho Filho, 270 – Santo Amaro
6. Hospital do Servidor Público Estadual
Rua Pedro de Toledo, 1800 – 1º andar – Ibirapuera – São Paulo
7. Hospital Geral de Vila Penteado
Avenida Ministro Petrônio Portela, 1642 – São Paulo

O crescimento e o comércio ilegal do Tatuapé



Nas últimas décadas o bairro do Tatuapé, zona leste da capital paulista, tem se revelado uma das regiões com maior potencial para os negócios, principalmente do ramo imobiliário, cujo crescimento é constante e os imóveis estão cada vez mais valorizados, cada dia mais construtoras atuam no bairro, mais prédios são construídos e mais imóveis são vendidos, o que está fazendo do Tatuapé um dos bairros mais procurados por pessoas que querem morar com qualidade de vida na zona leste de São Paulo.
Atraídos pelo desenvolvimento do bairro, o comércio ilegal vem ganhando força e as autoridades já estão preocupadas. As autoridades responsáveis pela segurança da região, moradores e empresários do bairro já estão pressionando a Subprefeitura Mooca que estuda ampliar sua linha de atuação na fiscalização em alguns pontos-chave da ilegalidade, entre eles, a Rua Tuiuti, Praça Silvio Romero e os núcleos de prostituição nas adjacentes do terminal do Metrô.
A rua Tuiuti por exemplo, é um dos pontos com o qual o Conselho de Segurança Pública (Conseg) do Tatuapé tem se preocupado, debatido e estudado alternativas e por vezes conseguiu implantar algumas iniciativas para coibir a ação dos ambulantes na extensão da rua, através de ações conjuntas da Guarda Civil, polícias Civil e Militar, Subprefeitura Mooca cogitadas e implementadas dentro das possibilidades, no entanto, o alarde prévio das fiscalizações transformam a maioria das ações em tentativas fracassadas de coibir o comércio ilegal.
As autoridades não conseguem surpreender os ambulantes, por que sempre que os fiscais vão até o local, os "passarinhos" (gíria utilizada para definir os indivíduos que costumam alardear os camelôs da chegada das autoridades) de plantão comprometem sua atuação.
Segundo autoridades locais, alguns grupos de ambulantes são tão organizados que mantêm um motociclista na porta da subprefeitura da região com um rádio comunicador.
O Bairro do Tatuapé está localizado a 8 km do marco zero (centro), ocupa uma área de 8,2 quilômetros quadrados, é servido por duas estações de metrô, a Carrão e Tatuapé, conta com 4 shoppings, 3 faculdades e tem cerca de 100.000 habitantes além do comércio de rua que se espalha pelas ruas Tuiuti, Emília Marengo e Serra de Bragança.
O ritmo acelerado do crescimento do bairro salta aos olhos, a cada ano surgem novos edifícios de alto padrão, faculdades, escolas, loja sofisticadas para atender aos novos moradores de alto padrão, 48% da população do bairro é da classe B, enquanto a média paulistana é de 31%. O salário médio da principal fonte de renda da família chega a R$ 4.000,00 e tem grande potencial de consumo.
As empreendedoras imobiliárias oferecem boa relação custo-benefício. Um apartamento de 4 dormitórios no bairro custa em média 460 mil reais e o bairro já chegou a estar a frente do Morumbi na procura dos investidores e empreendedores do ramo imobiliário, isto aconteceu no ano de 2004, quando foram construídas 1905 novas unidades enquanto o Morumbi teve 1.121.

Mulheres chefiam famílias e concentram tarefas

Cada vez mais as mulheres brasileiras são chefes de família, participam do mercado de trabalho e acumulam a maioria das tarefas domésticas. É o que mostra a série Pnad 2007: Primeiras Análises que, desta vez, aborda os temas população, família e gênero. De acordo com a pesquisa, os resultados indicam "exaustivas" jornadas de trabalho remunerado e não-remunerado para as mulheres, além de um aumento das desigualdades de gênero no País.
Segundo a pesquisa a proporção de famílias chefiadas por mulheres passou de 24,9%, em 1997, para 33%, em 2007, o que representa um total de 19,5 milhões de famílias brasileiras que identificam a mulher como principal responsável.
Durante o mesmo período, famílias formadas por casais com filhos e chefiadas por mulheres também representam um "fenômeno em ascensão". Entre 1997 e 2007, os números passaram de 600 mil para quase 3,3 milhões. Em 1997, entre as famílias formadas por casais com filhos, apenas 2,4% eram chefiadas por mulheres. Em 2007, a proporção subiu para 11,2%.
A Pnad indica que o aumento de quase 8% pode estar relacionado à maior longevidade das mulheres, aliada a um envelhecimento geral da população. Em quase 27% dessas famílias, a mulher considerada chefe tem 60 anos ou mais e, em muitos casos, mora sozinha. O aumento da participação feminina no mercado de trabalho também é um dos fatores responsáveis pelos índices, pois permite que as mulheres assumam, sozinhas ou com a presença de um companheiro, o sustento de um lar.
Dados sobre o cuidado com os afazeres domésticos mostram, "uma importante e persistente assimetria de gênero". A pesquisa indica que o tempo que as mulheres dedicam ao trabalho doméstico é maior do que o dos homens, independentemente da condição na família (chefe ou cônjuge), da escolaridade, da renda ou da condição de ocupação (ocupado, desocupado ou inativo).
Em famílias formadas por casais com filhos, os homens na posição de chefe dedicam 10,05 horas semanais aos afazeres domésticos e, na posição de cônjuges, não ultrapassam 10,44 horas semanais. Já as mulheres consideradas chefes de famílias e que trabalham fora de casa, quando comparadas a homens cônjuges desocupados, dedicam nove horas a mais por semana ao trabalho doméstico.
Os dados confirmam que as mulheres ainda são as principais responsáveis por tarefas como cuidar da casa, dos filhos, dos idosos, da manutenção da família e de todas as atividades relacionadas ao âmbito doméstico.

Consumidor paulista é contemplado com inauguração simultânea de 50 lojas do Magazine Luiza

Por: Riselda Morais

Foto: Luiza Helena Trajano Superintendente do Magazine Luiza e o diretor de Marketing Frederico Trajano durante coletiva na loja conceito do Shopping Aricanduva.


O Magazine Luiza terceira maior rede de eletroeletrônicos do País, inaugurou simultaneamente 50 lojas da rede, na segunda-feira 22/09 as 10 hs.
A data foi anunciada durante uma coletiva a imprensa feita pela Superintendente Luiza Helena Trajano, acompanhada de sua cúpula na loja conceito da rede no Shopping Aricanduva, aqui na zona leste da capital paulista.
"O mercado paulista tem um grande potencial para ser explorado. Entregaremos todas as lojas embrulhadas para presente junto com o nosso jeito de ser e vender", declarou a empresária.
Frederico Trajano, diretor de Vendas e Marketing enfatizou que "a concorrência em São Paulo não é tão acirrada quanto no interior, onde disputamos com número muito maior de redes, inclusive pequenas e médias, que muitas vezes operam até no prejuízo. No entanto, por aqui o mercado é mais concentrado que o interior", afirma.
A companhia está investindo R$ 150 milhões até 2010 para atuar com 120 lojas na região e estima uma renda de R$ 1 bilhão aos cofres da rede, que nasceu no interior paulista, em Franca, para o mesmo período.
Segundo a Superintendente, Luiza Trajano a chegada a capital paulista já tem base formada de 2,8 milhões de cadastros pré-aprovados.
O objetivo é atingir os públicos B,C e D; as classe A e B+ inicialmente serão atendidas pelo e-commerce (canal de comercio eletrônico).
Frederico Trajano declarou que a meta é expandir o uso do cartão de crédito e reduzir o uso do carnê. "Um total de 52,2% dos paulistanos pagam suas compras no tradicional carnê, 22,5% usam cartão de crédito e apenas 5,9% compram o private label", afirma.

domingo, 5 de outubro de 2008

Papa: Nações “ricas em fé e em vocações” estão perdendo identidade

Por: Riselda Morais

“Nações ricas em fé e em vocações agora perdem sua própria identidade sob a influência nociva e destrutiva de certa cultura moderna”, afirmou o Papa Bento XVI, neste domingo (05/10) durante a homilia da missa que celebrou na Basílica de São Paulo Extramuros, com a qual abriu a 12ª Assembléia Geral Ordinária do Sínodo de Bispos.
A missa foi concelebrada por 52 cardeais, 45 arcebispos, 130 Bispos, 85 Presbíteros e 14 membros da Igreja Ortodoxa.
Segundo o Papa na cultura moderna há quem diga que ”Deus Morreu” e quem se declare “Deus”. O Papa perguntou se “Quando se elimina Deus do próprio horizonte é possível ser feliz” e em seguida respondeu que “no fim o homem acaba mais sozinho, e a sociedade fica mais dividida e confusa.
"A mensagem de consolo que recolhemos dos textos bíblicos é a certeza de que o mal e a morte não têm a última palavra, mas que, no fim, Cristo vence. Sempre! A Igreja não se cansa de proclamar esta boa nova", disse o Papa e acrescentou que este anúncio será renovado de forma significativa durante toda a 12ª Assembléia do Sínodo dos Bispos.
A finalidade do Sínodo é "favorecer uma estreita união e colaboração entre o papa e os bispos de todo o mundo" e os trabalhos serão realizados durante as próximas semanas.
Do Sínodo, participarão 253 religiosos, dos quais 90 são da Europa, 62 da América, 51 da África e nove da Oceania.
Os Bispos católicos estão preocupados com o desconhecimento da Bíblia por parte dos fiéis e alertam para o perigo de várias “interpretações fundamentalistas” ou “equivocadas” do Antigo e do Novo Testamento.
O lema do Sínodo é “A Palavra de Deus na Vida e na Missão da Igreja” e o principal objetivo dos Bispos é decidir como se pode corrigir o desconhecimento entre os fiéis, “superar a indiferença, a ignorância e a confusão sobre as verdades da fé acerca da Palavra de Deus”.